O Potro Primitivo!

Em tempos onde para a maioria das pessoas as palavras de ordem são descartar, reciclar e mudar, ainda há aqueles que ainda preferem manter as tradições
Share on whatsapp
Compartilhe no WhatsApp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram
O Potro Primitivo!

Um novo ano se inicia, o gosto pela novidade, pela mudança e a expectativa do que há de vir, são grandes para a maioria das pessoas. Em tempos que pouca coisa dura mais do que um ano, comecei 2022 refletindo sobre um tema que deve esquentar nos meses que virão: Tradição X Mudança, pois para a maioria das pessoas as palavras de ordem são descartar, reciclar, mudar, mas nem todo mundo é assim.

Tenho um amigo, que me fez pensar semanas atrás como aquela criança que sempre pede a seu pai no balanço do parque: “De novo! De novo!…”

Foi assim quando há menos de um mês nasceu mais um potro na fazenda dele. Potro padrão, andamento padrão, cor padrão, genética padrão, e eu que também sou de gosto “padrão”, logo elogiei o produto.

Não demorou muito e ele me pediu pra batizar o recém nascido que tanto me agradará. Pensei comigo, o que esse potro tem de diferente? NADA! E está aí justamente sua imensa qualidade.

Ele não tem novidades, como seu criador, é daqueles “à moda antiga”, conserva qualidades que sempre foram buscadas e afasta-se de qualquer moda, pronto: “Vai ser Primitivo”, disse-lhe.

Assim foi batizado o potrinho que reflete um novo nascimento que conserva tudo de bom desejável em um cavalo de sela selecionado por mais de dois séculos em terras brasileiras.

Assim inicio refletindo sobre 2022, que venha um ano novo, mas trazendo com ele tudo de bom que adquirimos ao longo de toda nossa experiência, pois o que é bom, se conserva!

Seja bem vindo ao mundo Primitivo!

Por Luiz Alberto Patriota
Crédito da foto: Divulgação

Leia outras colunas no portal MAB

Relacionadas

Veja também

A raça Mangalarga é cercada de mitos, de historias populares repetidas por gerações, até mesmo por “especialistas”, e que vão se solidificando em verdades com o passar do tempo e das publicações que as dão crédito
Depois de dois anos de pandemia, economia estagnada e tantas vidas atingidas muitos devem estar recolhendo o que sobrou e pensando como mover adiante, continuar como, por quê? De que vale criar cavalos no cenário atual?
Ao invês de coagir por medo ou violência, o ideal é criar uma relação de confiança e cooperação
Bolo de cenoura? Cabresto colorido? Festinha de natal com os colegas de cocheira? Não, esses presentes são para os próprios donos.