Hormônios nas vacas passam para o leite e causam doenças?

No movimento Bem-Estar Animal - #Beba mais Leite” -, apoiado por entidades idôneas, tal questionamento é apontado como mito, ou seja, uma suposição infundada. Veja por quê!

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram
Áudio

Conhecendo um pouco mais sobre mitos e verdades no consumo de leite pela população em geral, o movimento Bem-Estar Animal e a campanha Beba mais Leite levantaram a questão dos hormônios nas vacas leiteiras em relação à saúde humana. Acompanhe o que dizem os especialistas.  

As vacas gestantes apresentam níveis elevados de estrógeno em seu leite no final da gestação. Por esta razão, surgiu uma hipótese de que esses hormônios poderiam causar alguns tipos de câncer e outros problemas reprodutivos relacionados ao consumo de leite.  

Mas, os resultados de uma pesquisa recente, conduzida na Eslovênia e publicada no Journal of Dairy Science, mostraram que esta suposição dos hormônios nas vacas passar no leite é infundada. Os pesquisadores observaram que o consumo de leite, contendo 10 vezes mais estrógeno que a quantidade presente no leite de vacas gestantes, não alterou os níveis sanguíneos de estrógeno, o peso dos órgãos sexuais e as concentrações de testosterona em ratos machos ou fêmeas. 

Na verdade, esses parâmetros só foram alterados quando os pesquisadores aumentaram em mais de 1000 vezes a quantidade de estrógeno presente no leite, em relação àquela encontrada em vacas gestantes, ou seja, uma condição impossível de ocorrer. 

Com isso, concluíram que o estrógeno presente no leite não chega à corrente sanguínea, sendo filtrado pelo fígado e excretado. Por isso, seu consumo não traz riscos potenciais à saúde do consumidor de leite.  

Fonte: Journal of Dairy Science
Crédito da foto: Divulgação/Canva

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Muito além das competições, a criação de equídeos movimenta a economia do país, gerando empregos e estimulando setores como turismo, moda, alimentação e lazer.
Jack Thunder Corona NAC, de propriedade de Nelson Antunes Correa, ainda ganhou um trailer por ter obtido a melhor média da prova, que foi aberta a todas as raças
Agora, além de várias premiações nacionais, a iguaria dos produtores Marcus e Cecília Pinheiro, de Salvaterra, no Marajó/PA, soma duas medalhas conquistadas no Mondial du Fromage et des Produits Laitiers, que é realizado em Tours, na França
Este foi o quarto leilão realizado pelo Grupo Fiore neste ano, novamente com sucesso de vendas e médias expressivas