Search
Close this search box.

2° Fórum Nacional do Leite da ABRALEITE faz história e se torna um marco para a pecuária leiteira nacional

22 de abril de 2024

Evento em Brasília promovido pela ABRALEITE reuniu presencialmente mais de 500 produtores, técnicos, parceiros e lideranças políticas e classistas, durante dois dias de intensa troca de conhecimento e experiência, com painéis variados e a presença de renomados palestrantes nacionais e internacionais.
Compartilhe no WhatsApp
2° Fórum Nacional do Leite da ABRALEITE faz história

Realizado nos dias 16 e 17 de abril na sede da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), em Brasília, o 2º Fórum Nacional do Leite da ABRALEITE, promovido pela Associação Brasileira dos Produtores de Leite-ABRALEITE, marcou história da pecuária leiteira do país ao reunir mais de 500 pessoas, incluindo produtores, técnicos, empresários, lideranças do setor e políticas e profissionais da área. O objetivo do evento foi promover a troca de ideias e experiências, bem como avaliar os desafios e oportunidades da cadeia do leite.


A pecuária leiteira desempenha um papel crucial na produção e geração de emprego e renda em aproximadamente 99% dos municípios brasileiros onde está presente. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), existem cerca de 1,2 milhão de propriedades produtoras de leite no país. O Brasil é o terceiro maior produtor mundial de leite e possui um significativo potencial de expansão, podendo tornar-se um importante exportador nesse setor, seguindo o exemplo de outros produtos do agronegócio brasileiro.


Geraldo Borges, presidente da ABRALEITE, frisa que para fortalecer o setor é essencial que o trabalho seja em cadeia, convergente entre o setor primário, secundário e terciário, em busca de um ambiente institucional organizado e maduro. E foi neste contexto que surgiu a ideia de montar o Fórum Nacional do Leite, que chega em 2024 superando a primeira edição em número de participantes e na troca de reconhecimento do setor de produção de leite.


“É com imensa satisfação que testemunho o 2º Fórum Nacional do Leite da ABRALEITE se consolidar como um marco na pecuária leiteira do nosso país. Este evento representou verdadeiramente um ponto de virada, ao reunir renomados especialistas do setor como palestrantes. Ao longo de dois dias intensos, desfrutamos da oportunidade de compartilhar conhecimentos e trocar valiosas experiências”, celebrou Geraldo Borges.


O presidente da ABRALEITE ainda frisa que o sucesso alcançado, tanto em termos de participação quanto de qualidade de conteúdo, só foi possível graças ao empenho e dedicação dos palestrantes, participantes, patrocinadores, apoiadores, bem como da nossa Diretora de Comunicação e Marketing que também é Coordenadora do evento, Maria Antonieta Guazelli, e de toda a equipe organizadora. “A ABRALEITE expressa sua gratidão a todos que contribuíram para tornar este evento um verdadeiro êxito”, pontua.


Painéis com conteúdo inovador e de muita relevância para a pecuária leiteira.


Na abertura do evento, estiveram presentes a coordenadora do 2° Fórum Nacional do Leite da ABRALEITE, Sra. Maria Antonieta Guazzelli, o presidente da ABRALEITE, Sr. Geraldo Borges, o representante do presidente da ASBRAER Sr. Natalino Souza, Sr. Cleison Medas Duval (Presidente da Emater-DF), o representante do Sr. João Martins presidente da CNA, Sr. Jonadan Ma (vice-presidente da Comissão de Leite da CNA), o presidente da OCB, Sr. Márcio Lopes de Freitas (por vídeo), o vice-presidente de Agronegócios e Agricultura Familiar do Banco do Brasil, Sr. Luiz Gustavo Braz Lage, o presidente da Frente Parlamentar de Assistência Técnica e Extensão Rural, deputado federal Sr. Zé Silva, a presidente da FPPL, deputada federal Sra. Ana Paula Junqueira Leão, o presidente da Frente Parlamentar pelo Fortalecimento da Embrapa, o senador Nelsinho Trad, o presidente da FPA, deputado federal Pedro Lupion e o Ministro do Estado do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar MDA, Sr. Paulo Teixeira.


Após a cerimônia de abertura solene, o 2º Fórum Nacional do Leite deu início aos seus painéis, destacando temas cruciais para a indústria leiteira, como biosseguridade, sustentabilidade, gestão, melhoramento genetico, mercado e comunicação. O evento contou com a participação de renomados palestrantes internacionais, incluindo Hans Jöhr, ex-diretor corporativo de agricultura da Nestlé, que proporcionou uma visão abrangente do mercado global e suas perspectivas futuras.

Além disso, o professor doutor Frank Metloner, especialista em qualidade do ar e extensão cooperativa no Departamento de Ciência Animal da UC Davis, abordou as Soluções Climáticas para a Pecuária, destacando a necessidade de um kit de ferramentas de soluções para mitigar os Gases de Efeito Estufa provenientes do sistema alimentar.


De acordo com Maria Antonieta Guazzelli, diretora de marketing da ABRALEITE e coordenadora do evento, o 2º Fórum Nacional recebeu elogios pelo seu conteúdo inovador e relevante apresentado ao decorrer de seus dois dias de realização. “Nosso evento foi diferenciado porque abordamos questões comportamentais que têm um impacto direto no consumo dos cidadãos. Essa abordagem, até então inédita nos congressos e eventos do setor agropecuário, representa um ponto crucial. Além disso, destacamos a integração do setor financeiro ao agronegócio, com foco especial na cadeia do leite, o que também foi de grande relevância”.


Entre os painéis apresentados, Maria Antonieta destaca o conduzido pelo economista da Embrapa, Paulo Martins, que abordou as 12 tendências do setor de leite e derivados para 2030, e o liderado pelo especialista em marketing e comunicação no Agronegócio, Jose Luis Tejon, que trouxe a temática “O agro é uma olimpíada. O leite merece a medalha olímpica!”. Maria Antonieta enfatiza a contribuição de Tejon para a cadeia leiteira, ressaltando seu papel em mostrar o posicionamento e a importância do setor.


O painel conduzido por Marcos Fava Neves, Fundador da Markestrat Consultoria Empresarial, também foi bem recebido pelo público, oferecendo insights sobre o futuro do agronegócio e estratégias para produtores obterem sucesso. Por fim, o painel sobre biosseguridade foi considerado crucial, com pesquisadores da Embrapa apresentando dados científicos sobre seu impacto nos resultados das propriedades.


Durante o evento, Guilherme Pontes, Palestrante do Grupo Rehagro, liderou o painel “Como a consultoria pode impactar no resultado da pecuária de leite de uma região?”. Ele expressou sua satisfação e surpresa com as apresentações, destacando que as discussões abordaram temas relevantes que provocaram uma reflexão profunda. Guilherme ressaltou a importância da comunicação e do marketing na indústria do leite, além de enfatizar a relevância da sustentabilidade. Ele observou: “No dia a dia, acabamos focando muito em processos, eficiência e aumento de resultados, e muitas vezes esquecemos de questões macro que são igualmente cruciais”.


Por fim, Maria Antonieta Guazzelli ressalta a importância histórica do Fórum, destacando-o como um marco significativo para o setor leiteiro nacional. “Apesar de ter assumido a diretoria de Marketing há pouco tempo, minha equipe e eu nos empenhamos para planejar cada detalhe deste evento. Nosso objetivo era proporcionar uma experiência única e enriquecedora para todos os participantes, e estou feliz em dizer que conseguimos reunir grandes nomes da pecuária leiteira neste fórum. Saímos do evento com a convicção de que precisamos nos unir ainda mais como indústria, buscar ativamente novas tecnologias e nunca parar de aprender. Somente assim poderemos tornar nossos produtos mais competitivos e enfrentar os desafios do mercado com confiança”, concluiu.

Escrita por Natália Oliveira –Agência Agrovenki

De ABRALEITE

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

O aumento do uso de coprodutos representa uma solução sustentável para a destinação de resíduos
São Paulo enfrenta desafios ainda maiores devido aos altos custos para o setor produtivo do leite e por ser o maior mercado consumidor do país.
Volume alcançou em 178,8 mil toneladas até a quarta semana, sendo que no ano anterior foram exportadas 168,4 mil toneladas
Para participar é necessário que a família esteja inscrita no Cadastro Único e viva no meio rural, com renda mensal de até R$ 218 por integrante