Exportações de carne bovina caem 48,68% em volume

Em outubro, foram embarcadas 62.61 mil toneladas de carne bovina até a quarta semana do mês. A queda de quase 50% diz respeito às médias diárias.
Share on whatsapp
Compartilhe no WhatsApp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram
Exportações de carne bovina caem 48,68% em volume
Áudio

As exportações brasileiras de carne bovina (fresca, refrigerada ou congelada) em outubro, até a quarta semana do mês, com 15 dias úteis, somam 62.61 mil toneladas e uma receita de US$ 327.70 milhões, apontam os dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex).

O preço pago pela tonelada da proteína sofreu valorização. Saiu de US$ 4.244,1 em outubro do ano passado para US$ 5.233,4 neste mês, o corresponde a alta de 23,31%.

Na média diária o volume exportado registrou recuo de 48,68%, passando de 8.13 mil toneladas em outubro de 2020 para US$ 4.17 mil neste mês.

A receita obtida com os embarques, na média diária somam US$ 21.84 milhões, o que representa queda de 36,72 % frente ao mesmo período do ano passado, com US$ 34.52 milhões.

Chinês paga mais barato carne bovina que brasileiro

O Embargo da China após a confirmação de dois casos de mal da vaca louca em frigoríficos de Minas Gerais e Mato Grosso, fez o produto ficar mais barato para a exportação. Mas, aqui no nosso país, o preço da carne bovina segue em alta para os consumidores.

Desde o início do embargo, em 4 de setembro, a cotação da arroba do boi gordo já caiu 9,5%. Mas por que essa queda não é sentida nos bolsos dos brasileiros? O preço do produto, de fato, recuou no atacado. No estado de São Paulo, por exemplo, o preço ficou menor porque uma parte que seria embarcada para a China foi despachada para o mercado interno. No varejo, entretanto, o preço da carne continua alto.

Esse descompasso entre atacado e varejo se deve a uma diferença no modo de consumo. O mercado interno é abastecido por cortes traseiros (carnes de primeira), enquanto os dianteiros (carnes de segunda) normalmente são voltados para a exportação. É justamente esse último que viu seu preço cair.

Além disso, com a exportação para a China parada, os frigoríficos reduziram os abates e as compras de boi gordo. A menor oferta, por sua vez, levou a um aumento dos preços.

Fonte: SBA

Créditos da Foto: Adobe Stock

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Remar Cidadão precisa da participação dos cidadãos para avaliação e aprimoramento das previsões de andadas e das normativas de defeso dos caranguejos nos anos futuros
Para especialistas, desempenho exportador das carnes neste início de 2022 é bastante satisfatório, mas o preço da carne suína registra queda anual próxima de 10%
Também nos bovinos, os nutrientes desempenham funções essenciais no organismo; então, atenção para quando ele faltarem na forragem oferecida, Carência muito comum no País
Os dados constam do banco da Associação Nacional de Criadores Herd-Book Collares (ANC), entidade mais antiga de registro de animais de raça do país