Expedicionários

Homens que resolveram não “ficar em casa”!
Share on whatsapp
Compartilhe no WhatsApp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram

Desde 2016, tive a honra de juntar-me a um seleto e exclusivo grupo de cavaleiros no Centro Oeste do Brasil, bandeirantes modernos, os Expedicionários!

Na contramão de toda lógica de segurança, conforto e comodismos do tempo que vivemos, ousamos todos os anos desde então, partir sertão a dentro unicamente com nossos cavalos, mantimentos, e espírito tropeiro, para reviver o que viveram os sertanistas do século 18, os desbravadores do nosso interior.

Talvez muitos não saibam, mas a verdadeira integração e ocupação de nosso país, começou e efetivamente se propagou, no lombo de cavalos e mulas. Durante os anos 1700, rotas de distribuição de minério e charque se consolidavam desde o Nordeste, passando por Minas Gerais, Goiás e Rio de Janeiro. Dentre elas a Estrada do Ouro ficou famosa, assim como inúmeros de seus desvios e acessos pelo interior do país, e justamente em um desses desvios que passa próximo a capital federal, ligando-a com a histórica cidade de Pirenópolis-GO, é que se descortina o palco usual de nossa aventura, a Expedição Dos Pirineus!

São 3 dias, mais de 100km desbravando trilhas e estradas de chão, comendo na beira de rio, dormindo em redes e barracas em pousos de fazendas antigas, sentindo na pele um pouco do que viveram homens que não sabiam o que eram limitações, medo ou comodismos, homens que construíram o Brasil apesar de todas as expectativas e dificuldades.

São momentos que valem uma vida inteira nos trazendo inspiração, que se faz mais do que necessária e presente, como nunca, nos dias de hoje!

Em tempos de crise e confinamento como os que vivemos não posso deixar de lembrar de muitos que estão nas linhas de frente, fora de suas casas, longe de seus familiares, desbravando campos, ruas e hospitais para garantir segurança, comida e conforto de  todos. São agricultores, profissionais autônomos, pecuaristas, policiais, médicos e tantos outros corajosos profissionais. A esses e a todos os expedicionários modernos deixo aqui essa singela lembrança e homenagem.

Relacionadas

Veja também

Em tempos onde para a maioria das pessoas as palavras de ordem são descartar, reciclar e mudar, ainda há aqueles que ainda preferem manter as tradições
Bolo de cenoura? Cabresto colorido? Festinha de natal com os colegas de cocheira? Não, esses presentes são para os próprios donos.
Em tempos de empoderamento e que querer já é sinônimo de poder, a equitação fica cada vez mais esquecida pelos “cavaleiros” de ocasião.
Nos últimos anos parece ter havido uma certa mudança de prioridades nas vidas das pessoas, uma certa tendência de ver a vida de maneira mais equilibrada, e com isso cresceu à procura pelo o uso de cavalos como atividade de lazer e esporte por pessoas de fora do meio rural