Rondonópolis é o maior exportador de MT em 2021

Com China como principal comprador, Rondonópolis é o maior exportador de MT em 2021.
Share on whatsapp
Compartilhe no WhatsApp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram
Rondonópolis é o maior exportador de MT em 2021
Com superavit de U$ 975,44 milhões em sete meses, Rondonópolis também tem o maior volume de importações em Mato Grosso – Foto: Redação
Áudio

O município de Rondonópolis (219km de Cuiabá) foi o maior exportador do estado de Mato Grosso nos sete meses de 2021. Neste período, as exportações chegaram a US$ 1.440,19 bilhão e representam 10,4% do total exportado por Mato Grosso. No ranking nacional, a cidade também mantém destaque e chega ao mês de julho como 18ª maior exportadora do país.

A maior parte das exportações do município no período é para a China, que representa 34,8% do total exportado pelo Município. No total, foram exportados U$ 501 milhões para o país asiático, 40,5% a mais que no mesmo período de 2020.

Na sequência, o maior comprador de produtos de Rondonópolis é a Indonésia, que representa 16,6% das exportações da cidade. Com a Indonésia, as exportações somam U$ 240 milhões, 73,1% a mais que no ano anterior.

Entre os principais produtos exportados pelo município estão a torta e outros resíduos sólidos da extração do óleo de soja, que representa 49% dos produtos exportados pela cidade, seguido da soja triturada (33%), do algodão (8,6%) e da carne bovina congelada (3,8%).

O Município registrou ainda crescimento de 32,9% no total de exportações entre janeiro e julho deste ano em comparação com o mesmo período de 2020.

Com superavit de U$ 975,44 milhões em sete meses, a cidade também tem o maior volume de importações em Mato Grosso, com U$ 464,74 milhões, 3,2% a mais que em 2020. Com relação às importações, o Município ocupa a 56ª colocação no ranking nacional e primeiro no Estado.

Fonte: Olhar Agro & Negócios/Por Isabela Mercuri
Foto: Redação

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Canchim, a raça sintética proveniente do Charolês (francês) e do Nelore (brasileiro) integra banco de dados do Promebo.
Já no parto, o coto umbilical precisa cicatrizar de forma correta para evitar problemas futuros aos animais e prejuízos ao pecuarista.
Em tempos onde o preço da produção do leite sobe menos que os custos, nutrição de qualidade e assistência técnica ajudam a manter alta produtividade
Entre tantas,mais uma pesquisa comprova que ingerir mais “ouro branco”, a gordura láctea, oferece menor risco de doenças cardíacas.