Search
Close this search box.

Megaleite termina com recordes e já tem data definida para 2025

18 de junho de 2024

A feira contou com 1500 animais de 160 expositores das raças Girolando, Gir Leiteiro, Holandês, Guzerá, Guzolando, Jersey, Simental e Búfalos
Compartilhe no WhatsApp
Megaleite termina com recordes e já tem data definida para 2025

Encerrada a 19ª edição da Megaleite neste sábado (15/06), a Associação Brasileira dos Criadores de Girolando já anunciou a data do evento em 2025. Será de 17 a 21 de junho, em Belo Horizonte/MG. A expectativa é de contar novamente com a participação das principais raças bovinas leiteiras no Parque da Gameleira, além de leilões, shoppings de animais, cursos, palestras, competições, além de diversas atrações para todo o público.

“A Megaleite é uma vitrine internacional da pecuária leiteira do Brasil que atrai para a capital mineira milhares de visitantes de diversos países, contribuindo para movimentar a economia local. São inúmeros empregos diretos e indiretos gerados na cidade, dezenas de empresas de diversos segmentos envolvidas e muitos negócios fechados ao longo da exposição”, destaca Domício Arruda, presidente da Associação de Girolando, entidade organizadora da Megaleite.

Na edição de 2024, realizada de 11 a 15 de junho, a feira contou com 1500 animais de 160 expositores das raças Girolando, Gir Leiteiro, Holandês, Guzerá, Guzolando, Jersey, Simental e Búfalos. Para o jurado Celso Menezes, um dos profissionais responsáveis pela escolha das grandes campeãs e campeões da feira, a Megaleite retratou a grande evolução da raça nos últimos anos.

“A raça Girolando alcançou um alto nível de qualidade genética e está contribuindo para tornar o Brasil mais competitivo no mercado de leite. Tivemos aqui vacas produzindo mais de 100 kg/leite/dia. Com todos os recordes e qualidade dos animais, a Megaleite deixa um recado ao mundo: temos recursos naturais e genéticos que permitirão ao Brasil alcançar a liderança na produção mundial de leite”, destaca Menezes. 

O evento registrou dois recordes de produção de leite no Torneio Leiteiro da raça Girolando. A vaca Fanny FIV Kingboy 131 FGS Sapucaia, de propriedade do expositor Fernando Gonçalves dos Santos, bateu o recorde que vinha desde 2015. Ela produziu 306,960 kg/leite, com média de 102,320 kg/leite. Outro recorde foi da vaca jovem Tradição FIV Elixir Santa Luzia, que produziu 268,670 kg/leite, com média de 89,557 kg/leite. De propriedade do expositor José Freire Neto, ela bateu o recorde que vinha sendo mantido desde a Megaleite de 2019. Todos os resultados das competições da feira estão disponíveis no site do evento.

Com cerca de 100 empresas expositoras de vários segmentos da economia e a realização de oito shoppings de animais e leilões, a Megaleite termina com movimentação financeira estimada em R$ 220 milhões. Passaram pelo parque comitivas de vários países, tais como Índia, Colômbia, México, Equador, El Salvador, Costa Rica, Panamá, Bolívia e Venezuela, além de brasileiros de norte a sul do Brasil. 

“A Megaleite 2024 terminou , foi mais MEGA do que nunca . Recorde de público , de expositores , de negócios, de satisfação, recorde de produção de vacas no torneio leiteiro, grande campeã uma vaca 5/8 com recorde de produção mostrando a evolução da raça . Quero agradecer a todos os parceiros , patrocinadores , expositores , técnicos e colaboradores. A Diretoria que não mediu esforços para realização desse evento maravilhoso. Que venha a Megaleite 2025”, diz o presidente da Girolando.

Sobre a Megaleite


Esta é a 19ª edição da Megaleite, que desde 2016 acontece na capital mineira. A feira conta com o patrocínio da Codemge, Governo de Minas e Sicoob Central Crediminas. Apoio institucional do Sebrae/MG, Sistema Ocemg e CNA/FAEMG e a Rádio Itatiaia como Media Partner. O Parceiro Premium é a Alvoar Lácteos e os Parceiros Master são: Allflex, Tortuga, uma marca DSM, Agener União, UCBVET Saúde Animal, Agroceres Multimix, Zoetis, Alta, Genex Brasil, Boehringer Ingelheim, CRV Lagoa, Nutron e Semex. Canal Master: Terraviva; Apoio Master: Bebamaisleite.

Por Megaleite

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Entre janeiro e junho, foi exportado quase o mesmo volume de peixes, em valores, de todo o ano passado
Doença em um aviário comercial no Rio Grande do Sul gerou fortes reflexos para os frigoríficos na B3
No periódico Current Microbiology, pesquisadores do Instituto de Tecnologia de Alimentos descreveram três cepas de bactérias do gênero Lactobacillus em queijos que podem beneficiar a saúde humana e atender às demandas da indústria queijeira