Exportações de carne bovina tem novo recorde

Depois de três meses seguidos de quedas no volume das exportações totais, a movimentação do produto voltou a crescer e subiu 11% em agosto.
Share on whatsapp
Compartilhe no WhatsApp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram
Exportações de carne bovina tem novo recorde
Pela primeira vez na história, o país ultrapassou a barreira das 200 mil toneladas exportadas num único mês, com 211.850 toneladas – Foto: Agência Brasil
Áudio

Na receita, o aumento foi de 56%. Com isso, pela primeira vez na história desse mercado, o país ultrapassou a barreira das 200 mil toneladas exportadas em um único mês: foram 211.850 toneladas. A receita cambial proporcionada aumentou o também recorde mensal de julho último de US$ 1,010 bilhão para US$ 1,175 bilhão. Em agosto de 2020, a movimentação foi de 191.141 toneladas e a receita de US$ 753,1 milhões. No acumulado do ano até agosto, as exportações totais ainda caem 1% em relação a 2020, mas a receita subiu 15%.

Para a Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo), que compilou as informações fornecidas pela Secretaria de Comércio Exterior (SEGUNDOSEX/DECEX), do Ministério da Economia, o país se beneficiou da diminuição da oferta no mercado internacional proporcionada pela redução das exportações argentinas, devido a política de combate à inflação local, e da Austrália, onde o rebanho ainda não se recuperou de sucessivas perdas devido a secas e enchentes. Até agosto de 2020, o país havia exportado 1.294.274 toneladas com receita de US$ 5,44 bilhões. Até agosto de 2021 o Brasil exportou 1.283.641 toneladas com receita de US$ 6,26 bilhões.

Evolução na movimentação de carne bovina

Segundo a ABRAFRIGO, a China mais Hong Kong continuam sendo o principal destino da carne bovina brasileira respondendo por 59% da receita e volume exportado. Os Estados Unidos mantêm a segunda posição entre os 20 maiores importadores do produto brasileiro. Em 2020 comprou 34.502 toneladas e em 2021 foram 66.467 toneladas (+92,7%).

O Chile é o terceiro colocado, com aquisições de 62.621 toneladas no acumulado do ano (+ 24,4%); o Egito o quarto, reduzindo suas compras de 91.529 toneladas no ano passado para 35.495 neste ano (-54.9%); as Filipinas ocupam o quinto lugar, subindo as importações de 25.660 toneladas em 2020 para 35.495 toneladas em 2021(+ 38,3%). Os Emirados Árabes ficaram com o sexto lugar, com importações de 25.595 toneladas em 2020 e de 29.056 toneladas até agosto de 2021 (+13,5). No total do ano até aqui, 88 países apresentaram evolução na sua movimentação, enquanto que outros 75 reduziram suas importações, informou a Abrafrigo.

Fonte: Abrafrigo
Foto: Agência Brasil

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Reunindo um pequeno grupo de convidados e autoridades a Associação Brasileira de Criadores de Ovinos (ARCO) celebrou seus 80 anos, dia 18 último, em sua sede (Bagé, RS)
A Associação Catarinense de Avicultura (ACAV) anunciou a data do 13º Simpósio de Incubação, Matrizes de Corte e Nutrição, que está programado para o período de 6 a 8 de junho
Diretoria, Conselhos e Comissões foram apresentados oficialmente nesta terça-feira, 18 de janeiro. A cerimônia aconteceu na sede da ABCCMM, em Belo Horizonte (MG)
ABCZ TV produz série de reportagens sobre impactos do Programa de Melhoramento Genético do Zebu nos rebanhos brasileiros, em inegável contribuição para o incremento produtivo