E a batalha continua no mercado de ovos

Preços de comercialização de ovos em declínio enquanto o custo de produção mostra crescimento constante
Share on whatsapp
Compartilhe no WhatsApp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram
Áudio

A situação do avicultor de postura comercial vai ficando cada vez mais insustentável com os preços de comercialização de ovos apresentando declínio enquanto o custo de produção mostra crescimento constante. 

Isso fica bem claro no acompanhamento do preço médio recebido pelo avicultor a partir do ano passado e o valor dispendido para aquisição da principal matéria-prima utilizada na alimentação do plantel avícola. 

Com a expressiva evolução do milho a partir do segundo semestre do ano passado, a relação entre os produtos foi estreitando e essa proximidade já sinalizava enormes prejuízos para os avicultores. 

Em janeiro deste ano a situação piorou ainda mais com a queda nos preços de comercialização da caixa de ovos e o aumento na cotação do milho, que impuseram prejuízos ainda maiores aos avicultores. Pela primeira vez no período analisado, o preço médio de aquisição do milho superou o recebido na venda da caixa de ovos. 

Maio: preço médio da saca do grão supera o recebido na comercialização da caixa no mercado de ovos

A partir da forte evolução nos preços dos ovos em fevereiro, o avicultor somente diminuiu a margem negativa, pois, mesmo assim, não chegou a superar o custo de produção. E, infelizmente para o avicultor, a partir de então os preços vieram decrescendo e, em maio, já apresentam valor médio recebido novamente insuficiente para adquirir uma saca de milho. 

E a tendência é dessa margem negativa permanecer e até se alongar até o encerramento do mês com os preços valorizados da matéria-prima e a fragilidade e baixa de preços que atingem o mercado de ovos. Por ora, o preço médio diário recebido na caixa de ovos brancos se encontra em R$103,00, enquanto o valor de aquisição da saca de milho no interior paulista atinge R$108,00. 

Fonte: OvoSite
Crédito da foto: Divulgação/Canva

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Canchim, a raça sintética proveniente do Charolês (francês) e do Nelore (brasileiro) integra banco de dados do Promebo.
Já no parto, o coto umbilical precisa cicatrizar de forma correta para evitar problemas futuros aos animais e prejuízos ao pecuarista.
Em tempos onde o preço da produção do leite sobe menos que os custos, nutrição de qualidade e assistência técnica ajudam a manter alta produtividade
Entre tantas,mais uma pesquisa comprova que ingerir mais “ouro branco”, a gordura láctea, oferece menor risco de doenças cardíacas.