Tecnologia na Agropecuária

O que é essa tal tecnologia na pecuária?

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram

Tecnologia no campo. Tema em alta na Agropecuária. Mas, o que seriam essas tecnologias tão comentadas? Parece algo inatingível pra maioria dos pecuaristas.

As primeiras coisas que vêm ao encontro ao encontro da adoção dessas práticas é o alto custo, o desembolso inicial, o medo de arriscar, a desconfiança, qual será o retorno disso, enfim, tudo vem acompanhado de muitas dúvidas.

Quando a tecnologia é empregada da maneira correta no seu negócio, na sua propriedade, torna-se fundamental para a melhoria da produção, produtividade, lucratividade, diminuição do impacto e bem-estar das pessoas que dela participam.

Então, vamos dar nomes a algumas dessas tecnologias. Por exemplo, “manejo adequado das gramíneas”, com a utilização de sistemas rotacionados, alternados, diferidos, ”cercas elétricas”, respeitando as curvas de crescimento das mesmas – isso por si só já é utilização de tecnologia.

Uso da “adubação”, “calagem”, também é considerado, com isso aumentando a capacidade de suporte dos pastos, aumento de peso dos animais em menor espaço de tempo, aumentando giro do rebanho.

Rotação de culturas, pastagens agricultura, a famosa “ILP” (Integração Lavoura-Pecuária) vem se mostrando grande aliada ao aumento de produtividade dos rebanhos e taxa de lotação das fazendas do país. Minimizando impactos ambientais com diminuição de abertura e desmate de novas áreas.

“Suplementação a pasto”, outra aliada, às vezes com um pequeno aumento no fornecimento de rações, proteinados, blocos proteicos energéticos, reduzindo tempo de abate com aumento de peso mais acelerado, aumentando estoque de gado e taxa de lotação, aumento de produtividade simplesmente colocando no cocho. Isso também é tecnologia.

Utilização de “vagões misturadores com balança”, facilitando trabalho pesado, melhorando qualidade de vidas dos funcionários, reduzindo tempo de trato, consequentemente, sobrando mais tempo para outras tarefas, além de dar precisão ao fornecimento de rações, auxiliando no controle rígido de estoque e diminuindo desperdícios.

“Técnicas de manejo racional”, lidando com o rebanho de forma correta, sem pressa, sem gritaria, alternando certos hábitos na lida, mudando algumas estruturas dentro do curral, por exemplo, por si só já é uso de tecnologia. Seus benefícios são inúmeros e vai desde a diminuição de prejuízos com contusões nos animais, melhoria da qualidade da carne com a diminuição do stress pré-abate, e, como consequência, a segurança das pessoas envolvidas melhora significativamente.

Por enquanto, como exemplos, nada de novo, não é mesmo? Indo mais além, já se pode falar em outras novas tecnologias que estão sendo imprescindíveis no controle das operações das propriedades, como o uso de “aplicativos” (APPs) de campo, “programas” (Softwares) de controle de rebanhos, estoque, financeiros, mostrando-se fundamentais hoje em dia.

Essas novas tecnologias que estão chegando, como “balanças digitais individuais” colocadas no campo, que pesam animais sem a ajuda de pessoas, e utilização de “Drones” para medição de quantidade de matéria seca de um pasto via satélite, vem dar uma nova dimensão à Pecuária.

É treinar e equipes e motivá-las com a certeza de que a qualidade de vida das pessoas do campo vai melhorar e muito. Portanto, faça uso dessas novidades. Elas estão aí ao alcance de todos. Basta acreditar. Muitas dessas tecnologias não necessitam de dinheiro e sim de mudanças de hábitos e manejos.

Relacionadas

Veja também

Roberto Zillo propõe em sua coluna que os pecuaristas façam uma retrospectiva geral de sua produção até aqui, a fim de obter resultados mais satisfatórias na atividade
O colunista do portal MAB Luiz Roberto Zillo ensina o passo a passo de como fazer o planejamento da atividade pecuária a fim de tornar o negócio ainda mais rentável
O colunista Beto Zillo levanta uma questão interessante para se discutir, ou seja, o que se tem no país de alternativas como fontes de nutrientes muito viáveis à substituição ou mesmo complementação de insumos tradicionais
É preciso avaliação, pois cada propriedade tem sua característica, sua topografia, sua localização, seu tipo de solo.