O AGRONEGÓCIO MAIS PERTO DE VOCÊ

Pará lidera na produção bubalina

Das 1.434.141 cabeças produzidas no Brasil, 546.777 são oriundas do território paraense
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Áudio

O Pará é o maior criador de búfalo do Brasil, com 38,13% da produção nacional. Estes dados foram divulgados pelo Núcleo de Planejamento do Sedap – Setor de Estatísticas da Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca – com comparativos do efetivo de rebanho relacionados aos anos de 2015 a 2019. Entre as informações aparece taxa de variação, posição do Pará no ranking nacional, regiões de integração e os municípios paraenses com maior efetivo bovino entre outros estudos.

O Estado do Pará, além de ser o maior produtor de gado bubalino do Brasil, de acordo com fontes do Instituto Brasileiro de Estatísticas e Geografia (IBGE), através da Pesquisa Pecuária Municipal (PPM), é o quarto maior produtor de rebanho bovino do país, ficando atrás apenas do Mato Grosso, Goiás e Minas Gerais.

Os dados mostram que das 1.434.141 cabeças de búfalo produzidas no Brasil, 546.777 são oriundas do Pará (ganho de 5,34% em relação ao ano de 2018), sendo a região do Marajó responsável pela maior quantidade do rebanho bubalino. Os municípios de Chaves (32,09%), Soure (15,41%) e Cachoeira do Arari (8,15%) são os que mais se destacam no segmento. Destaque bovino – Com relação ao ranking local de produção bovina, os dados mostram que São Félix do Xingu continua sendo o maior produtor do rebanho bovino. Segundo o levantamento, 10,73% da produção paraense são oriundas do município (2.241.537 cabeças). O segundo maior produtor paraense é Marabá (5,44%), seguido de Novo Repartimento (4,24%).

Os dados mais recentes revelam que o Pará produziu em 2019 um rebanho bovino de 20.881.204 cabeças (ganho de 1,22% em relação ao ano anterior), o que representa 9,72% do rebanho nacional. O Estado de Mato Grosso foi responsável por 14,88% do rebanho nacional.

No panorama histórico também é possível ter acesso ao ranking por região de integração. A região do Araguaia é maior produtora do rebanho bovino com 35,38% da produção, seguida pela região do Carajás (16,59%) e do Xingu (13,20%).

Já com relação à produção caprina (cabras, ovelhas e bodes), o Pará ocupa a 9ª posição, segundo o levantamento do Nuplan/Estatística, com uma produção em 2019 de 81.546 cabeças. O município de Trairão é o maior produtor local com 9,68% do efetivo.

Pecuária e Economia

O estatístico João Ulisses Silva, que é o responsável pela elaboração do estudo, disse que esses dados são importantes, pois mostram a relevância da pecuária para a economia do Estado, e sua representatividade no cenário nacional.

Ele explica que a Pesquisa Pecuária Municipal (PPM/IBGE) é realizada anualmente e a atualização é com um ano de defasagem, ou seja, o ano de 2019 foi apresentado pelo IBGE em outubro de 2020, com corte de referência temporal em no último dia do ano, com abrangências em nível de Brasil assim divididas: Grandes Regiões, Unidades da Federação, Mesorregiões e Microrregiões Geográficas e Municípios. O Setor de Estatística da Sedap é responsável pela sistematização das informações referente ao Estado do Pará, para consumo interno e disponibilizado para a sociedade.

Você sabia?

Os primeiros exemplares de búfalos foram introduzidos oficialmente através da ilha de Marajó, no Pará, em 1895, dando início à formação do rebanho brasileiro.

Entre suas várias características, além de fertilidade e precocidade, são animais longevos e com rusticidade. Adaptam-se bem a climas quentes e úmidos. São mais sensíveis à baixa umidade do que à alta temperatura. Por fim, os búfalos possuem o que se chama de tripla aptidão, ou seja, são propícios ao leite, à carne e à tração.

No que diz respeito à performance produtiva para fins econômicos, há que se desenvolver boas condições de manejo, alimentação adequada, cuidados zootécnicos atentos e melhoramento genético com regularidade.

Fonte: Instituto Brasileiro de Estatísticas e Geografia (IBGE); Setor de Estatísticas da Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (SEDAP)