Para o mês de agosto, Anec prevê recuo na exportação de milho do Brasil

Previsões recentes de especialistas associam esse recuo à redução da safra do país devido às geadas e às secas

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram
Para o mês de agosto, Anec prevê recuo na exportação de milho do Brasil
Foto – Divulgação
Áudio

A Associação Nacional dos Exportadores de Cereais (Anec) indicou esta semana, terça-feira (03/08) que a exportação de milho do Brasil em agosto foi estimada entre 3,1 milhões e 4 milhões de toneladas, o que seria uma queda na comparação com as 6,68 milhões de toneladas registradas no mesmo mês do ano passado. O recuo ocorre após a safra do país ter sido seriamente reduzida pela seca e geadas, segundo previsões recentes de especialistas.

Mês de agosto x ano passado

Quanto à exportação de soja do Brasil, segundo apontamento da Anec, deverá alcançar entre 4,9 milhões e 6,5 milhões de toneladas. No ponto mais baixo do intervalo, ocorreria uma queda na comparação com a exportação de 5,6 milhões do mesmo período do ano passado.

Também na terça-feira, com base em dados da agência marítima Cargonave, o cenário já indicava a possibilidade de o embarque de milho cair de forma mais acentuada que o de soja neste mês.

Já a exportação de farelo de soja do Brasil deve alcançar 1,13 milhão de tonelada, ante os embarques de 1,61 milhão no mesmo mês do ano passado.

Fonte: Anec
Foto: Divulgação

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Abramilho espera safra verão com até 7 milhões de toneladas a mais e vê margem muito positiva para o produtor
No Brasil, mais de 200 mil famílias da agricultura familiar cultivam fibras naturais e o valor exportado, em 2020, superou US$ 100 milhões.
Planta desenvolvida pela Embrapa para cultivo no Cerrado pode ajudar o Brasil a ser autossuficiente na produção do cereal.
Está dada a largada para o plantio de 72 milhões de hectares, disponíveis para a safra 2021/2022.