Nova marca no mercado da soja homenageia as mulheres do Agronegócio

A Ellas Genética, lançada pela SEEDCORP|HO, deve chegar ao mercado em escala comercial na próxima safra (2021/2022) como uma forma de valorizar e incentivar a atuação das mulheres no agronegócio

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram
Nova marca no mercado da soja homenageia as mulheres do Agronegócio
Foto – SEEDCORP|HO/Divulgação
Áudio

Soja com assinatura feminina. Assim nasceu a Ellas Genética, com o objetivo de reconhecer o papel das mulheres no agronegócio e atender a um mercado de soja cada vez mais dinâmico e crescente no País. A SEEDCORP|HO lançou uma nova marca de genética de soja, branding que amplia o uso de variedades oriundas do banco de germoplasma da empresa, focadas em potencial produtivo e tolerância a doenças e nematoides, uma espécie de analogia à força e importância de atuação das mulheres do Agro.

“A atuação das mulheres tem sido fundamental para o desenvolvimento do setor agrícola. Por isso, nosso objetivo é que elas se sintam reconhecidas, respeitadas e homenageadas pela nossa marca. Acreditamos que somos um reflexo da sociedade e que nossas ações e projetos devem estar alinhados com o propósito de contribuir para ambientes mais diversos e inclusivos. E, ao mesmo tempo, estaremos trazendo novas opções de genéticas de soja para os produtores e produtoras brasileiras”, explica Daniel Glat, diretor de Operações da SEEDCORP|HO.

Planejamento, Pesquisa e Logística da empresa

Muito além do nome, a empresa também pretende contar com a atuação de mulheres em várias frentes da marca, como na pesquisa, no marketing e no desenvolvimento de mercado. “Neste primeiro momento, vamos adotar o modelo de licenciamento, ou seja, vamos licenciar nossa genética para que outras empresas parceiras multipliquem as sementes e as vendam com suas marcas próprias”, afirma Glat.

Em princípio, o portifólio da Ellas Genética estará disponível apenas para o Cerrado brasileiro, por meio dos multiplicadores Sementes Bom Jesus, Cereal Ouro, Sinagro e Cia.Seeds.

A companhia prevê que, em cinco anos, terá comercializado por volta de 800 mil sacos de 200 mil sementes, da marca Ellas Genética. Com isso, juntas, as duas marcas da empresa – HO Genética e Ellas Genética – concentrarão 15% deste mercado no Brasil. Há expectativa de que em até três anos a atuação da marca seja ampliada para todo Brasil e também América do Sul.

Com um total de 120 funcionários em seu escritório em Goiânia (GO), a SEEDCORP I HO tem aproximadamente 50% de seu quadro ocupado por mulheres. Recentemente, a empresa anunciou a chegada de Micheli Possobom, que assumiu a função de melhorista de soja na região Sul do Brasil. Formada em Engenharia Agronômica pela Universidade Santa Maria (RS), ela é mestre em Agronomia, com ênfase no Melhoramento de Plantas pela mesma universidade, e doutora em Fitotecnia, também com ênfase no Melhoramento de Plantas, desta vez pela Universidade Federal de Viçosa (MG).

“Tenho muito orgulho por fazer parte de uma empresa que se preocupa verdadeiramente com o espaço que a mulher ocupa na sociedade, contribuindo para que sejamos reconhecidas e exerçamos, cada vez mais, papel protagonista no agronegócio”, comemora Micheli.

Presente em todas as etapas da cadeia de sementes – pesquisa, produção, desenvolvimento de mercado, vendas e logística – a empresa nasceu da fusão, em 2017, da SEEDCORP e Horus Sementes, e atua por meio de marca própria ou licenciando sua genética.

Fonte: SEEDCORP|HO
Foto: SEEDCORP|HO/Divulgação

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

De acordo com a consultoria Safras & Mercado, a semana teve início com fluxo inexpressivo de negócios no mercado físico do boi gordo.
Ele inventou um coletor de pingo, fermento natural usado na produção de Queijo Minas Artesanal
Para entidade, debate sobre demarcação de terras indígenas causa insegurança jurídica e pode afetar a economia e toda a cadeia produtiva.
Equipamento é ideal para corrigir a umidade das pistas equestres, bem como para suprir outras necessidades que um rancho demanda