Em outubro, exportações de carne bovina caem 50%

Percentual do mês corresponde ao volume de 82.18 mil toneladas da proteína bovina, embarcadas para o exterior.
Share on whatsapp
Compartilhe no WhatsApp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram
Em outubro, exportações de carne bovina caem 50%
Áudio

As exportações brasileiras de carne bovina (fresca, refrigerada ou congelada) somaram em outubro, com 20 dias úteis, 82.18 mil toneladas, com uma receita de US$ 424.61 milhões, segundo os dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex).

O preço pago pela tonelada da proteína bovina registrou valorização. Saiu de US$ 4.244,1 em outubro de 2020 para US$ 5.166,5 no mês passado, o que representa crescimento de 21,73%.

Na média diária de outubro deste ano, as exportações de carne bovina totalizaram 4,10 mil toneladas, o que representa queda de 49,48% na comparação com o mesmo período do ano passado, com 8,13 mil toneladas.

A receita com os embarques da carne bovina, na média diária, soma US$ 21,23 milhões, baixa de 38,50% frente ao mesmo mês de 2020, com US$ 34,52 milhões.

WhatsApp Image 2021 11 02 at 14.21.42

Pesquisadores do Cepea destacam que é a primeira vez em pouco mais de três anos que as exportações brasileiras de carne bovina ficam abaixo de 100 mil toneladas. Segundo eles, isso se deve à manutenção da suspensão dos envios da carne bovina brasileira à China, o maior destino internacional da proteína.

No mercado spot nacional, a demanda por novos lotes para abate se mantém baixa e a entrada de animais de confinamento vem crescendo.

Assim, em outubro, o Indicador do boi gordo CEPEA/B3 recuou 11,83%, encerrando o mês a R$ 257,10. No dia 28, especificamente, o Indicador chegou a fechar a R$ 254,10, o menor valor nominal desde o início de outubro de 2020.

Fonte: Secex e Cepea

Créditos da Foto: Adobe Stock

Crédito: Arquivo Mundo Agro Brasil – MAB

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Remar Cidadão precisa da participação dos cidadãos para avaliação e aprimoramento das previsões de andadas e das normativas de defeso dos caranguejos nos anos futuros
Para especialistas, desempenho exportador das carnes neste início de 2022 é bastante satisfatório, mas o preço da carne suína registra queda anual próxima de 10%
Desempenho no ano passado representa uma evolução de 10,3% em receita cambial, na comparação com 2020. Já no montante de quedas houve queda importante e esperada
As exportações brasileiras de arroz (base casca) tiveram em dezembro um dos melhores desempenhos do ano passado. Setor aproveita e comemora o bom desempenho