Demanda mais fraca pelo açúcar repercutiu sobre o mercado nas últimas semanas

Queda no acumulado da semana com ofertas restritas e assimilação pós-geada
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Demanda mais fraca pelo açúcar repercutiu sobre o mercado nas últimas semanas
Foto – Divulgação
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Áudio

A safra de cana-de-açúcar 2021/22 avança no Centro-Sul do Brasil, mas a oferta de açúcar cristal no mercado spot do estado de São Paulo continua restrita. De acordo com pesquisadores do Cepea, esse cenário está atrelado à menor produção nesta temporada e ao bom desempenho das exportações.

Apesar disso, os preços médios do cristal negociados no mercado à vista registraram quedas pontuais no encerramento de junho, o que pode estar relacionado à necessidade de venda por parte de algumas usinas. Assim, o movimento da semana retrasada iniciou com os preços médios na casa dos R$ 117,00/ saca de 50 kg, mas, no final de junho (30/06), estes caíram para R$ 113,00/saca de 50 kg.

No cenário internacional, o mercado futuro do açúcar encerrou na sexta-feira (09/07) em queda nas bolsas de Nova York e Londres, completando o quarto dia consecutivo no vermelho. A fraca demanda pelo adoçante, financeiro e, principalmente o pós-geada é monitorado.

O principal vencimento do açúcar bruto na Bolsa de Nova York registrou queda de 0,97%, cotado a US$ 17,28 c/lb, com máxima de 17,46 c/lb e mínima de 17,17 c/lb. O tipo branco em Londres registrou desvalorização de 0,83%, a US$ 454,00 a tonelada.

Depois de operar acima dos US$ 18 c/lb na semana passada em meio geadas no cinturão brasileiro, o mercado reverteu quase todos os ganhos durante esta semana acompanhando a minimização das preocupações com financeiro, fraca demanda e financeiro.

Nos fundamentos, o mercado internacional ainda monitora as informações de fraca demanda pelo açúcar por causa das altas taxas de frete, mas também possivelmente porque o consumo não está melhorando, disse a Reuters.

A maior produtora de açúcar da Europa, a Suedzucker, reportou na quinta (08/07) uma queda nos lucros do primeiro trimestre ainda devido ao impacto econômico da Covid-19. O grupo ainda espera que seus resultados subam no exercício financeiro completo.

Apesar disso, a All India Sugar Trade Association (AISTA) anunciou (09/07) que as exportações de açúcar pelas usinas do país totalizavam 4,75 milhões de toneladas no acumulado da safra 2020/21 (outubro-setembro), com expectativas acima da cota do governo no total da temporada.

A consultora sênior em gerenciamento de risco da StoneX disse que a continuidade desse movimento recente de alta do mercado depende da confirmação dos danos. “O mercado ainda aguarda a mensuração desses impactos, o que demora alguns dias”.  

Mercado interno do açúcar

No Norte e Nordeste do Brasil, o açúcar registrou estabilidade, a R$ 132,65 a saca, segundo dados levantados pela consultoria Datagro. O açúcar VHP, em Santos (SP), tinha no último dia de apuração o preço FOB cotado do tipo a US$ 18,91 c/lb, sem variação.

Depois de altas nos últimos dias, o Indicador CEPEA/ESALQ do açúcar, cor Icumsa de 130 a 180, mercado paulista, caiu pelo terceiro dia consecutivo na véspera, com perda de 0,20%, cotado a R$ 115,38 a saca de 50 kg.

Fonte: Cepea/Esalq, Datagro
Foto: Divulgação

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Leia também