Comercializações dos principais produtos nas Ceasas

Relatório semanal da Conab aponta queda na oferta das culturas devido às fortes geadas ocorridas nas principais regiões produtoras de hortaliças e frutas no país

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram
Comercializações dos principais produtos nas Ceasas
Foto – Divulgação
Áudio

As fortes geadas que ocorreram nas principais regiões produtoras de hortaliças e frutas no país causaram queda na oferta das culturas. Como consequência, houve alta nos preços destes produtos na maioria dos mercados atacadistas. A informação consta no Relatório de Monitoramento Semanal da Comercialização dos principais produtos nas Centrais de Abastecimento. O estudo refere-se ao intervalo de 18 a 24 de julho e já se encontra disponível no site da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

De acordo com informações da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp), a geada foi intensa e abrangente em São Paulo e atingiu também regiões de clima mais quente, como Ribeirão Preto e São José do Rio Preto. Isso comprometeu a produção de muitas regiões com possível diminuição de oferta e da qualidade de algumas hortaliças, em especial as folhosas. As frutas também sofreram este efeito, como foi o caso da laranja.

Já a Ceasa Campinas, também em São Paulo, informou que muitos produtores de hortaliças tiveram perdas significativas e já observaram reflexo nos preços de legumes como o pimentão, a abobrinha e a berinjela. Com relação às folhosas, ainda não foi notada uma grande mudança nos preços, uma vez que o consumo é muito reduzido neste período de inverno.

Produtos e preços

No caso do Rio Grande do Sul, já havia sido observada uma alta nos preços coletados na semana anterior à do novo estudo, quando ainda não havia ocorrido a geada, mas apenas um frio mais severo, como informou a CeasaSerra e a Ceasa/RS. Ainda neste estado, na capital, Porto Alegre, ocorre um período de entressafra de hortigranjeiros que teve início em junho e seguirá até o mês de outubro. De acordo com produtores, comerciantes e varejistas locais, a demanda tem sido baixa este mês.

No Paraná, a informação obtida pela Ceasa no estado foi de que as geadas que ocorreram anteriormente afetaram a oferta e, com isso, os preços já estavam elevados. O prejuízo ocorreu principalmente para hortaliças como chuchu, abobrinha, tomate e pepino. Também sentiram esses efeitos a couve-flor, brócolis e a alface, entre outras.

Finalmente, em Santa Catarina há a perspectiva de que haja atraso no desenvolvimento das hortaliças em razão das baixas temperaturas, o que deve comprometer também a oferta.

Fonte: Conab
Foto: Divulgação

Leia mais notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Desvalorização externa e maior oferta no Brasil pressionam cotações do algodão.
O Brasil deverá exportar 60 mil toneladas de arroz beneficiado a Cuba em setembro, informou a entidade.
Água e do vento rasgam a produção e escoam o lucro pelo mais absoluto descaso ou descuido.
É o que indica estudo realizado pela Rede de AgroPesquisa e Formação Aplicada Paraná (Rede AgroParaná).