O AGRONEGÓCIO MAIS PERTO DE VOCÊ

Ícones da raça Quarto de Milha – parte 2 – Dash For Cash Jr.

Na continuação da série que homenageia os exemplares que marcaram a história da raça Quarto de Milha, nosso colunista Abdalla fala de Dash For Cash Jr. com sua incomparável campanha nas pistas de corrida e na reprodução.
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Dando continuidade aos exemplares que marcaram seu nome na história da raça Quarto de Milha e que, também, ficou eternizado no 1º Hall da Fama da Associação Brasileira de Criadores de Cavalo Quarto de Milha (ABQM), em 2011, aparece um dos grandes representantes da linhagem Corrida: Dash For Cash Jr. 

Para quem já conhece, vale a pena relembrar, e para os quartistas que não tiveram este privilégio, é a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre o primeiro animal Quarto de Milha a vencer as três provas válidas pela Tríplice Coroa do Brasil. 

Tudo começou em 1980, com a chegada ao Brasil da reprodutora norte-americana Smooth Leda, uma filha de Jet Smooth, importada pelo criador paulista Samir Jubran (falecido em 2012, foi Hall da Fama ABQM 2015), titular do Haras Fazenda Campo Alegre. Ela trouxe ao pé um produto macho, nascido no dia 9 de abril de 1979 e que tinha como pai uma das lendas da raça mundial, o extraordinário campeão e produtor de inúmeros campeões, Dash For Cash, e que em sua homenagem, o proprietário registrou o potro com o nome de Dash For Cash Jr. 

Esse alazão estreou no dia 18 de abril de 1981, no hipódromo de Avaré (SP), com apenas vinte e quatro meses de idade, enfrentando animais com praticamente 180 dias a mais (diferença do ano hípico brasileiro para o americano), que o fizeram ficar para trás nos 320 metros. Trinta dias após, ele reapareceu e mais preparado superou seus adversários, marcando sua primeira vitória. Nos dois anos que se seguiram, sua campanha nas pistas de Avaré (SP), Ribeirão Preto (SP) e Carazinho (RS) lhe proporcionou o cartel de um autêntico e incontestável campeão.  

Em 1981, Dash For Cash Jr. ao lado de seu proprietário, o falecido Samir Jubran – Foto: Arquivo Pessoal
Encerrando a campanha em pista até a reprodução: Dash For Cash Jr

Dash For Cash Jr encerrou sua campanha nas pistas, precocemente, no dia 5 de junho de 1983, no hipódromo do Tanquinho em Ribeirão Preto completando 12 vitórias em 16 apresentações, além de obter dois recordes de pista, um nos 365 metros (400 jardas) nesse Jockey e outro nos 700 metros na pista de Carazinho, quando derrotou os mais velozes animais da raça PSI, em distância até então considerada impossível de ser abordada por um animal QM, e deixando surpresos os turfistas do Sul do país.  

Conquistou também, até então, o título inédito no Brasil, o da Tríplice Coroa em 1981, vencendo os GPs.: Brasil (365 metros), Derby Nacional (402 metros) e C.C.C.C.N. (503 metros).  

Na reprodução, Dash For Cash Jr consagrou-se servindo éguas dos mais diversos criatórios. Embora desaparecido em 12 de janeiro de 1991, se tornou pentacampeão de Estatísticas de Reprodutores, sendo pai de inúmeros ganhadores clássicos, sendo três deles do GP ABQM Potro do Futuro: Dash Sand (87), Dash For Feature (89) e Dash Dancer (91). 

Foi pai também dos recordistas: Gea Moon (GP Potro de Ouro); Lady Dash HJS (320m em Ribeirão Preto); Wild Dash SLN (275m em Sorocaba e dos 365m em Itapetininga, incluindo o GP ABQM Rei da Velocidade); e First Gray Dash (301m Sorocaba, incluindo o GP Pres. ABQM em Carazinho/95). 

Produziu ainda outros importantes vitoriosos: Dashinlight PK (12 vezes, incluindo o GP Brasil e Derby); Go Dash (5 vezes); Special Dash (5 vezes); Dashing Charger (GP Pres. Jockey Club Sorocaba); Tobenumberone PK (GP Venâncio Luzardo e Nelson Silveira/93); Last Lady Dash (GP 275m/94); Nikko Dash SA (GP 503m/94); Hip Deck (GP 275m/94; Fidash (GP Pres. ABQM/94 Carazinho). 

Já como avô materno destacou-se através dos animais: Hiper Deck; Massive Attack; e Ease Ket, entre outros. 

Além da Corrida, ele produziu animais pontuados em Três Tambores, Vaquejada, Western Pleasure e Conformação. 

 Crédito das fotos: Arquivo pessoal

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil