COE da pecuária de leite acumula alta de 11,49%

De janeiro a junho de 2021, concentrado vem pesando no bolso do produtor, aponta o boletim Campo Futuro, elaborado pela CNA e Cepea

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram
COE da pecuária de leite acumula alta de 11,49%
Gastos do setor se concentram nos animais em produção, que geram renda. Foto – Divulgação
Áudio

De janeiro a junho deste ano, o Custo Operacional Efetivo (COE) da pecuária de leite acumulou forte alta de 11,49%, segundo o boletim Campo Futuro, da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea).

 O COE da atividade leiteira inclui gastos com ração, mão de obra, medicamentos, manutenção de máquinas, benfeitorias e equipamentos, material de ordenha e de inseminação artificial e todos os itens referentes aos desembolsos realizados pelo produtor.

De acordo com o documento, o insumo que mais tem pesado no bolso do produtor é o concentrado, que valorizou 11,34% (média Brasil) no primeiro semestre de 2021. “Esse cenário é resultado dos elevados preços da soja e do milho que, nos últimos 12 meses, se valorizaram 35,19% e 85,72% respectivamente”, explica o boletim.

O boletim também apontou que, de janeiro a junho, a receita do produtor variou positivamente 3,52% para a “média Brasil”, cotado em R$ 2,201 o litro de leite. A CNA alerta que esse cenário exige muita atenção de produtores que, na maior parte dos casos, encontram margens apertadas na atividade leiteira.

 Segundo a publicação, em um cenário de alta nos custos de produção como o atual, propriedades com rebanhos desestruturados e menos produtivos tendem a sentir mais os efeitos em suas margens. “Como consequência, tendem a investir ainda menos nas categorias de reposição, uma vez que os gastos se concentram nos animais em produção, que geram renda”.

Fonte: Assessoria de Comunicação CNA
Foto: Divulgação

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Leilão com mais de 1.000 reprodutores reúne 128 investidores provenientes de 108 municípios de 13 diferentes estados da Federação.
Perspectivas climáticas para a primavera foram anunciadas em 21 de setembro pelo Inmet.
Ao todo, serão ofertados 320 vacas em lactação e prenhas, além de 30 novilhas prenhas
A indústria de alimentos foi identificada como o principal impulsionador da perda de biodiversidade e responsável por 1/3 das emissões globais de gases do efeito estufa.