Centro de manejo inicia operação com o foco no bem-estar animal

Construído em concreto protendido, de alta durabilidade, possibilitará o manejo de até 200 animais por dia
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Áudio

O novo Centro de Manejo de Baixo-Estresse, construído em substituição ao antigo curral do “Retiro do Rochedo”, montado quando a unidade foi fundada, foi concluído. Ele segue os preceitos de bem-estar animal, principalmente, em relação à atenuação do estresse que normalmente ocorre durante o manejo, tanto para os animais quanto para os manejadores.

A moderna instalação atenderá as necessidades dos projetos de pesquisa que usam a estrutura, como aqueles que envolvem os sistemas integrados de produção, nutrição animal e manejo de forrageiras, além das áreas com rebanho geral.

Com um custo total da obra estimado em 400 mil reais, a maior parte dos recursos (construção do curral anti-estresse e cobertura com telhado antitérmico) veio do Acordo de Cooperação Técnica do projeto Carne Carbono Neutro (CCN), assinado entre a Marfrig Global Foods e a Embrapa.

A Unidade arcou com os custos de demolição do antigo curral, terraplanagem e construção da base estrutural (fundação). Outra parceria foi necessária e viabilizada, desta vez com a Beckhauser, empresa fabricante de troncos de contenção e balanças, que doou para a Embrapa Gado de Corte um dos mais modernos troncos de contenção disponíveis no mercado.

A elaboração do projeto do novo curral teve início no final de 2019, e as obras iniciaram em maio de 2020. Construído em concreto protendido, de alta durabilidade, possibilitará o manejo de até 200 animais por dia, com maior segurança para pesquisadores, funcionários e estagiários.

Vídeo no Youtube

Fonte: Embrapa Gado de Corte

Relacionadas

Leia também

ESG Tech, a próxima onda tecnológica

ESG Tech, a próxima onda tecnológica

O papo sobre sustentabilidade corporativa não é novo, mas ganha outra roupagem com o interesse cada vez maior de consumidores e investidores por negócios realmente engajados com esses princípios. Este é o foco do artigo assinado por Marcos Luz, Head de Tecnologias Avançadas da Minsait no Brasil, apontando que a tecnologia pode prestar grandes contribuições, exercendo um papel central na coleta, verificação e análise do desempenho ESG.

Continue lendo ⠀➡