Café: Preço mais elevado das sacas em plena colheita

Técnicos da CNA comentam as causas desse cenário atípico

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram
Café Preço mais elevado das sacas em plena colheita
Preço do café apresenta comportamento atípico e segue em alta no mercado – Foto: Divulgação
Áudio

Na época em que geralmente as cotações tendem a cair por conta da nova safra, o café mostra preços elevados. Desvalorização do Real frente ao dólar, atraso nas exportações do café colombiano e a redução na produção do Vietnã e do estoque brasileiro estão entre as principais causas para o alto preço das sacas de café em plena colheita de junho de 2021.

A commodity tem apresentado altas consecutivas dos preços nos municípios participantes do projeto desde março de 2021, segundo o boletim Campo Futuro, elaborado pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) em parceria com o Centro de Inteligência em Gestão e Mercados da Universidade Federal de Lavras (CIM/UFLA).

“O cenário de elevação de preços na saca de café durante a colheita é atípico. Isso normalmente não acontece porque é a época de maior oferta, mas devido às circunstâncias de momento de mercado estamos nessa conjuntura”, afirmou o assessor técnico da CNA, Thiago Rodrigues.

De acordo com ele, as principais variáveis definidoras de preços de commodities agrícolas são a oferta e a demanda, tanto do mercado à vista quanto do futuro. No caso do café arábica, a procura pode ser consequência da expectativa de um aumento do interesse em países consumidores que avançaram na vacinação contra a Covid-19 e já estão em processo de reabertura.

Além disso, a Organização Internacional do Café (OIC) considera que o consumo mundial cresça cerca de 2,1 milhões de sacas de 60 kg entre a safra 2019/2020 e a de 2020/2021.

Oferta e a indústria cafeeira

Em relação à oferta, o clima seco em Minas Gerais e a bienalidade negativa da cultura do café apontam para uma redução na produção. Com uma demanda mais forte frente à oferta, a possível escassez do produto pressiona a indústria cafeeira para fazer aquisições com a eminente possibilidade de aumentos ainda maiores nos preços futuros.

Fonte: CNA
Foto: Divulgação

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Está dada a largada para o plantio de 72 milhões de hectares, disponíveis para a safra 2021/2022.
Parceria firmada é um passo visando sustentabilidade e responsabilidade social no campo.
De acordo com a consultoria Safras & Mercado, a semana teve início com fluxo inexpressivo de negócios no mercado físico do boi gordo.
Na média nacional, a produção de café beneficiado em 2021 deve ser 25,7% menor do que no ano passado.