Algodão e açúcar: as cotações continuam em elevação

Algodão - com vendedor firme, indicador segue em alta; Açúcar - preços sobem no primeiro mês da safra 21/22
Share on whatsapp
Compartilhe no WhatsApp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram
Áudio

Devido à posição firme de vendedores, as cotações do algodão em pluma continuam em elevação. Entre 31 de março e 30 de abril, o Indicador CEPEA/ESALQ avançou 7,52% e, nos sete dias – 27 de abril a 4 de maio -, 0,63%, fechando a R$ 5,2232/lp na terça-feira, 04/05, pouco abaixo do recorde nominal observado em 4 de março deste ano (de R$ 5,2251/lp).  

Bons volumes das temporadas 2019/20 e 2020/21 já foram comercializados, e a expectativa é de redução na oferta da safra atual (2020/21).  

Tradings passaram a ficar mais ativas no comércio nacional, pedindo preços inferiores aos de produtores, diante da menor atratividade da exportação – mesmo com o dólar operando em alto patamar, as vendas internas de algodão em pluma vêm remunerando mais que as externas.  

Do algodão para o açúcar: Preços sobem no primeiro mês da safra 21/22

Os preços do açúcar cristal subiram no mercado spot paulista em abril, primeiro mês oficial da safra 2021/22. De acordo com pesquisadores do Cepea, a maturação da cana-de-açúcar demorou um pouco mais nesta temporada, atrasando o início da moagem em muitas usinas. 

Desta forma, a oferta de açúcar para as vendas no spot foi restrita, em especial para o cristal tipo Icumsa 150.  

Em abril de 2021, a média do Indicador CEPEA/ESALQ, cor Icumsa 130 a 180foi de R$ 108,34/saca de 50 kg. O que equivale a uma alta de 0,71% em relação à de março/21 (R$ 107,58/saca de 50 kg), e também a 7,23% acima da de abril/20 (R$ 101,04/saca de 50 kg), em termos reais. Os valores foram deflacionados pelo IGP-DI, base março/21 

Fonte: Cepea/Esalq/USP
Crédito da foto: Divulgação/Canva

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Estratégia que garante perenidade está presente nos principais países produtores. Trata-se de subvenção e mecanismo de gestão de riscos que o Brasil não pode prescindir
Falta de dessecante trará prejuízos à safra brasileira de soja. É o que afirma Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja Brasil)
Na 7ª edição do evento, a HELM do Brasil destaca solução para agricultura de precisão. Ferramenta para pequenos, médios e grandes produtores, SKYFLD V.2 é apresentada
Linha fina: Após visitar lavouras afetadas pela forte estiagem no PR e MS, ministra diz que ação imediata e efetiva é garantir plantio da safrinha que bate na porta