Kalahari brilha na Festa do Boi 2021

O Boer é um caprino de corte, branco com cabeça vermelha ou marrom. Já o Kalahari é uma variação do Boer, totalmente vermelho ou marrom.
Share on whatsapp
Compartilhe no WhatsApp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram
Kalahari brilha na Festa do Boi 2021
Áudio

Durante a Festa do Boi 2021, feira realizada entre 13 e 20 de novembro, em Parnamirim (RN), uma raça caprina brilhou na espécie, entre tantas presentes. Trata-se da africana de aptidão ainda polêmica para muitos de seus adeptos, chamada Kalahari (Boer vermelho). Vários animais estiveram expostos no pavilhão e chamaram muito a atenção por sua conformação frigorífica bem definida e pelos robustos aparelhos mamários das fêmeas. Os amantes da caprinocultura tiveram um prato cheio.

Mas o que tem esse Kalahari?

No Boer, a pelagem branca é dominante e o vermelho é recessivo. Isto explica porque a maioria das progênies F-1 é predominantemente branca. Também as gerações F-1 cruzadas são predominantemente brancas. A força genética do gene para coloração branca, no Boer, é a mesma que nas demais raças caprinas em geral. Ou seja, a raça Boer sempre terá a predominância de pelagem branca.

Qualquer outra tonalidade seria exceção e, de fato, alguns animais trazem um gene recessivo duplo, para vermelho ou para marrom. Numa seleção correta, é fácil identificar as linhagens que carregam o gene duplo para a coloração vermelha, acasalando-se, então, fêmeas e machos para obter apenas animais vermelhos.

Essa é a maneira de formar rebanhos inteiros de Kalahari, os quais merecem um Registro Genealógico próprio. Uma coisa é certíssima: se o animal é vermelho, então ele tem os dois genes para coloração vermelha. Quando o animal tiver apenas um dos genes, ele tenderá a ser branco.

Assim, nem todos os animais portadores de gene para vermelho podem ser detectados a olho nu, pois muitos serão brancos – embora carregando o gene para vermelho. Por outro lado, acasalando macho e fêmea de pelagem tradicional pode surgir, às vezes, animais totalmente vermelhos – que serão recessivos para pelagem.

Mais raramente, entre os gêmeos que nascem, um pode ser de pelagem tradicional (branco e vermelho) e o outro pode ser totalmente vermelho. Para compreender o surgimento de animais totalmente vermelhos só existe um caminho: estudar os ascendentes.

images

Os desafios da Kalahari

As pesquisas para desenvolvimento de um Kalahari são muito mais difíceis do que para o Boer tradicional, uma vez que existem poucas linhagens disponíveis. Com o tempo, o criador acaba limitando o potencial de matrizes e reprodutores.

No rebanho Ram-H Breeders, do Canadá, durante seis anos, tentou-se segregar o Boer Vermelho praticando, inclusive, transferência de embriões, mas somente entre 1998 e 1999 foi possível pensar em aperfeiçoar características de conformação e musculatura. Ou seja, antes interessava consolidar a pelagem, apenas.

É muito recomendável, portanto, que o comprador de um Kalahari analise, com profundidade, se está mesmo comprando um animal geneticamente vermelho. Mesmo sendo vermelho, pode não ser puro, geneticamente falando. No sistema de registro genealógico do Canadá, a pureza do Kalahari pode ser verificada pelo exame de DNA. As informações sobre desempenho funcional, no entanto, são mais fáceis de serem obtidas diretamente com o produtor.

O Kalahari tem um nicho de mercado próprio. Alguns criadores simplesmente preferem olhar um rebanho totalmente vermelho – uma questão pessoal de gosto. Pitorescamente, alguns grupos étnicos preferem uma cabra de corte que jamais tenha a pele clara. Talvez questão de religião ou totemismo.

O serviço de registro genealógico é realizado pela Associação Brasileira dos Criadores de Caprinos (ABCC), credenciado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). Confira características:


Pelagem: pelos do pescoço e da cernelha tendem a ser mais longos e grossos. No corpo, os pelos são macios e untuosos, medianos. Corpo vermelho ou cinza-vermelho. Os membros podem ser mais escuros, como a cara, ou toda a parte anterior do animal.
Altura média: fêmeas, de 60-80 cm e machos, de 70-90 cm.
Peso médio: fêmeas, de 50-70 kg e machos, de 70-90 kg.

Fontes de pesquisa: Revista “O Berro” e ABCC

Crédito: Adobe Stock

Crédito: Reprodução

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Reunindo um pequeno grupo de convidados e autoridades a Associação Brasileira de Criadores de Ovinos (ARCO) celebrou seus 80 anos, dia 18 último, em sua sede (Bagé, RS)
Mercado da Ovinocultura aquecido. FENOVI e 14ª Exposição Nacional das raças Dorper e White Dorper, realizada em São José do Rio Preto, traz bons ventos ao setor.
Feira Noroeste Paulista de Ovinos gerou R$ 1,3 milhões em dois leilões, comercializou animais em pavilhão e viabilizou negócios na área da biotecnologia.
A Feira Noroeste Paulista de Ovinos (Fenovi) acontece desde 7 de dezembro e segue até dia 12 com vasta programação e fórum de discussões sobre a atividade.