Contratos futuros do milho e da soja dos EUA recuam 2%

O mercado segue atento ao clima dos EUA que tem indicações de mais chuvas pela frente, o que poderia ajudar as previsões de safra

Compartilhar

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram
milho, soja, café, contratos futuros, EUA, Bolsa de Chicago, cotações, chuvas
Foto – Divulgação
Áudio

Com vendas técnicas e longa liquidação no fim da semana, e do mês, e com chuvas benéficas em porções do cinturão de milho norte-americano, os contratos futuros do milho e da soja dos EUA recuaram cerca de 2%, segundo traders, na sexta-feira (30/07).

Os futuros do trigo fecharam modestamente em queda, mas marcaram ganho pelo mês de julho. O trigo para setembro recuou 1,50 centavos de dólar, para 7,0375 dólares o bushel, mas ainda apurou alta mensal de 3,6%.

O milho para dezembro negociado em Chicago fechou em queda de 11,25 centavos de dólar, em 5,4525 dólares por bushel e a soja para novembro fechou em baixa de 28,50 centavos de dólar, em 13,4925 dólares o bushel.

Em algumas regiões da Dakota do Sul, Minnesota e norte do Iowa as chuvas chegaram no final da semana, e previsões indicaram mais chuvas pela frente, o que poderia ajudar as previsões de safra dos EUA.

“No geral, é o clima e a realização de lucros no final da semana e do mês”, disse Terry Reilly, analista sênior da Futures International, sobre as quedas nos futuros dos grãos.

Quanto ao café, mercado corrige os preços em mais de 1000 pontos. O mercado futuro do café arábica recuou forte no pregão de sexta-feira (30/07) na Bolsa de Nova York (ICE Future US), com mais de 7% de baixas nas principais referências. As cotações voltam a cair mesmo em um dia marcado por mais geadas no parque cafeeiro do Brasil.

Setembro/21 tinha queda de 1425 pontos (por volta das 11h37 – horário de Brasília), valendo 182,20 cents/lbp; dezembro/21 registrava queda de 1435 pontos, cotado a 184,95 cents/lbp e maio/22 tinha queda de 1415 pontos, valendo 187,95 cents/lb.

Fonte: AgroTimes
Foto: Divulgação

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Leilão com mais de 1.000 reprodutores reúne 128 investidores provenientes de 108 municípios de 13 diferentes estados da Federação.
De acordo com a consultoria Safras & Mercado, a semana teve início com fluxo inexpressivo de negócios no mercado físico do boi gordo.
Ausência da China no mercado gerou uma série de instabilidades, a começar pelo remanejamento das escalas de abate por parte dos frigoríficos exportadores
Apesar de sucessivos recordes nas exportações brasileiras de produtos do agronegócio, ainda é preciso melhorar a imagem do Brasil.