O AGRONEGÓCIO MAIS PERTO DE VOCÊ

Mercado Quarto de Milha continua superando a pandemia

Leilões no primeiro trimestre de 2021 atingem expressivos patamares: R$ 70,4 milhões de receita e R$ 70,5 mil de média
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Hollywood Starburst, comercializada por R$ 1,332 milhão
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Desde o final de fevereiro do ano passado, quando os primeiros casos de coronavírus foram apontados pelos órgãos mundiais de saúde, começou também a pairar no ‘ar dos brasileiros’ muitos questionamentos. Como reagiria a própria área da saúde? Como se posicionariam outros importantes setores, como o social, o cultural, o esportivo, o turístico e o econômico?

Alguns dias depois, aumentaram ainda mais as interrogações da maioria dos quartistas, pensando na situação do agronegócio e, principalmente, a do mercado da raça Quarto de Milha. Isso porque os grandes eventos esportivos e os leilões denominados de “elite” – normalmente realizados em palcos, fazendo parte, em sua maioria, da programação dos campeonatos em várias regiões do país -, passariam, então, a ser promovidos virtualmente.

Portanto, seria normal imaginar uma enorme queda na comercialização de animais da raça. Mas, a surpresa foi grande junto aos números apurados, decorrente da expertise dos profissionais do segmento. Eles foram trabalhados virtualmente, mas promovidos em palcos sem perder o “ambiente” do recinto, contando apenas com a presença dos promotores dos eventos, proprietários das leiloeiras, leiloeiros, assessores técnicos, as equipes de transmissão e outros prestadores de serviços.

Nos primeiros sete meses de 2020 a arrecadação foi de R$ 170 milhões

Atestando a capacidade de superação da raça, mesmo com toda essa adversidade, produzi uma matéria em agosto, com base em dados fornecidos pelas leiloeiras – até 31 de julho – que apontaram resultados surpreendentes.


Em 192 leilões realizados, sendo17 presenciais – até as paralizações – e 175 virtuais/online, a receita geral obtida através de 3.939 animais comercializados atingiu R$ 170,5 milhões, com valores médios de R$ 43,3 mil.


Embora não tenha editado outra matéria concluindo a temporada, acompanhei os resultados parciais que, me levam a crer, que o Mercado de Leilões atingiu cifras bastante expressivas.

Trimestre de 2021 passa da casa dos R$ 70 milhões

Mesmo com o agravamento de casos de Covid-19, este primeiro trimestre de 2021 (janeiro até 31/03), continua surpreendendo a coletividade quartista. Embora outras leiloeiras também tenham sido consultadas para a composição da matéria, divulgamos os dados de cinco delas: Agreste, MBA, MG, Opportunity e WV, onde em 45 eventos virtuais proporcionaram a arrecadação de R$ 70,4 milhões, com a venda de 999 exemplares, pela expressiva média de R$ 70,5 mil (veja quadro).

Destaques das leiloeiras

A WV foi a leiloeira responsável pela organização do maior evento deste trimestre e um dos maiores em todos os tempos, tanto como receita, média e valor individual dos lotes. Tudo ocorreu no Leilão Úbere Ranch – Matrizes Importadas, realizado no dia 27/02, com apenas 24 exemplares, arrecadando R$ 12,1 milhões, R$ 504,7 mil de valores médios e a venda de Hollywood Starburst (Hollywood Dun It x Chic Olena Starbuck, por Smart Starbuck), por R$ 1,332 milhão. Ganhadora de US$ 37.187,00, campeã NRHA Derby Non-Pro; co-campeã Tulsa Reining Classic Derby Non-Pro; finalista do NRHA Derby Non-Pro e do NRBC Non-Pro.

Voltado à Vaquejada, o destaque entre os leilões realizados pela Agreste, a maior receita e média foram obtidas no Leilão Spettacolo Exclusive JGC – Produção & Matrizes (06/02), com faturamento de R$ 5,350 milhões e média de R$ 133,7 mil, em Bezerros (PE). Outro destaque informado pela leiloeira ocorreu no 6º Leilão Haras Fábio José, de Lagarto (SE), com a venda da cobertura do garanhão Throwin A Fit, que bateu o recorde no valor unitário pela cifra de R$ 39,6 mil, tornando-se a mais valorizada entre os reprodutores que estão em atividade no Brasil.

Já entre os pregões de Corrida, a MBA aponta o Haras Vista Verde & Amigos 2021 (13/03) como responsável pela maior receita: R$ 4,5 milhões; e o II Virtual Haras Jaguaruana & Convidados (01/03) como o de melhor média: R$ 126,5 mil. A empresa destaca ainda dois potros de 18 meses arrematados pela cifra de R$ 285 mil cada. Foram eles: Dublin Verde (One Famous Eagle x Orly Vista, por Nordick Only VM), no Leilão Haras Vista Verde & Amigos, e Jezz Zoomer HBR (Louisiana Senator x Voo Doo Zoomer, por Shazoom), vendido no 3º Leilão Haras Brasil (27/03).

Jezz Zoomer HBR: um dos potrancos mais caros da Corrida