Chuvas e frio resultam em queda no consumo da alface

Em São Paulo, bares e restaurantes poderão reabrir, mas preço continuará pressionado
Share on whatsapp
Compartilhe no WhatsApp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram

Ao longo da semana passada (19 a 23/04), o tempo frio e a ocorrência de chuva na capital paulista prejudicou o escoamento da folhosa. E, mesmo com os preços mais baixos, atacadistas consultados pelo Hortfruti/Cepea apontaram que houve sobras de mercadorias nos boxes.

Isso aconteceu, também, devido ao fraco movimento que ocorreu no entreposto, resultado dos vários fechamentos impostos pela prefeitura e governo estadual, referentes à pandemia, e pelo feriado na quarta-feira (21/04).

Dessa forma, a alface crespa teve queda de 14,99%, finalizando à R$ 14,18/cx com 24 unidades; as hidropônicas (lisa e crespa) mostraram decréscimo de 8,29%, à média de R$ 18,80/cx com 24 unidades.

Na parcial de abril (1º a 23/04), os preços no atacado ficaram 11% menores em relação ao mês de março, diante das dificuldades de escoamento da folhosa, mesmo com a oferta controlada. Para a próxima semana, é esperada uma leve melhora na saída com a reabertura de bares e restaurantes. Porém, caso as baixas temperaturas persistam, essa reação deve ser pequena e a perspectiva é de que os preços se estabilizem.

Fonte: hfbrasil.org.br

Relacionadas

Veja também

O Rio Grande do Sul é responsável pela produção de mais de 70% da safra de arroz do país, o que o torna ator fundamental na garantia da segurança alimentar do povo brasileiro
Além do abacaxi, assentamento Salumbrinho também produz aipim, feijão, laranja, limão e manga
Brasil está entre os principais mercados fornecedores de laranja para a União Europeia ao lado do Reino Unido, Canadá, Suíça, Noruega e Oriente Médio
A Companhia Nacional de Abastecimento é o órgão responsável pela realização do cálculo do bônus em produtos do Programa de Garantia de Preços para a Agricultura Familiar
X