Bem-estar animal e o futuro do leite é tema de evento virtual de 6 a 8 de abril

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Para quem produz leite, o bem estar do animal é uma garantia de competitividade e uma forma de elevar sua reputação diante dos consumidores.
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Áudio

A Ideagri, primeira produtora de softwares certificada com o selo “Empresa Amiga do Bem-Estar Animal”, está patrocinando o evento gratuito “BEA Days – Bem-Estar Animal e o futuro do leite”, que acontece nos dias 6, 7 e 8 de abril, no formato online, sempre às 19h, envolvendo produtores de leite, de insumos e serviços ligados à cadeia do leite.

Os painéis conectarão a certificação, a análise de dados de fazendas certificadas, os aspectos do conforto animal em si, a experiência de quem é certificado como fazenda e produz lácteos com o selo, o comportamento do consumidor, as perspectivas de empresas de insumos e serviços que recebem o selo e a visão da certificação no mundo.

A pecuária leiteira brasileira começa a abraçar o movimento pelo bem-estar animal, um conceito mundial que ganha força no Brasil. “Essa é uma exigência que partiu dos consumidores, mas os produtores estão aderindo à causa e potencializando ainda mais suas boas práticas na produção”, comenta Heloise Duarte, diretora de operações da Ideagri, agtech mineira especializada em softwares de gestão de fazendas de gado de corte e de leite. “Há ganhos de qualidade, de produtividade e de imagem”, diz a diretora.

“Vamos conversar sobre o impacto desse conceito sobre os animais e a administração das fazendas, quais os reflexos nos negócios e na pecuária em geral”, acrescenta Heloise Duarte. O evento tem o apoio da Ceva Saúde Animal, QConz, Integral Conteúdo, Traduzindo Vacas, Laticínios Gióia e do movimento #BebaMaisLeite.

“O setor do leite está respondendo de forma ativa à pressão do mercado”, explica Helena Karsburg, diretora de certificações do #BebaMaisLeite. “Neste último ano, 40 fazendas e várias empresas que atuam na cadeia do leite obtiveram a certificação de empresa amiga do bem-estar animal”, contabiliza. “O número vai crescer porque o bem-estar animal tem uma ligação direta com produtos de maior qualidade e o produtor entende e valoriza isso. Para quem produz leite é uma garantia de competitividade e uma forma de elevar sua reputação diante dos consumidores”, diz Helena Karsburg.”

Visão mais sustentável do bem estar animal

O conceito do bem-estar animal deriva da visão mais sustentável e integrada da vida na Terra. Essa linha de pensamento começou com força na Inglaterra e conquistou adeptos entre os consumidores de produtos de origem animal em todo o mundo. Em escala cada vez maior, os consumidores passaram a exigir melhor tratamento dos animais. Produtores começaram a ser avaliados não só pela qualidade do que produzem, mas também pelo cuidado dispensado aos animais durante todo o seu ciclo de vida.

A pesquisa “Consumo às cegas: percepção do consumidor sobre o bem-estar animal na América Latina”, realizada pela organização World Animal Protection e pelo Instituto Ipsos no Brasil, Chile, Colômbia e México, dá suporte à aprovação popular ao conceito do bem-estar animal. Exemplo: embora 66% da população brasileira não sabe como funciona o processo de produção de alimentos de origem animal, 82% dos brasileiros comprariam produtos que trouxessem um selo de “bem-estar animal”, 72% comprariam somente esses produtos caso o preço fosse o mesmo daqueles sem a certificação.

Outra informação interessante da pesquisa: nove em cada 10 brasileiros acreditam que um sistema de bem-estar produz carne de melhor qualidade. Do ponto de vista de tendência, um dado ainda mais interessante: os jovens de 18 a 29 anos têm maior preocupação com os métodos de criação e abate de animais. Os resultados são bastante similares nos países pesquisados. “O público está atento”, afirma Heloise Duarte, da Ideagri.

Programação BEA Days

06 de abril – terça-feira – 19 h

Painel: “Certificação BEA. Lançamento do IILB-9 com análise de dados de fazendas certificadas. Conforto animal”, com Helena Karsburg, Heloise Duarte e Marcelo Cecim

Os fundamentos, as etapas e a importância da Certificação em BEA para os mercados e para as fazendas. A relação do BEA com a eficiência e a rentabilidade dos sistemas de produção certificados, através da análise de dados nacionais da 9ª edição do IILB. Análises comportamentais que permitem “ouvir” os animais.

07 de abril – quarta-feira – 19 h

Painel: “Comportamento do consumidor e caso de sucesso de fazenda certificada com produção de lácteos com o selo BEA”, com Flávia Fontes e Viviana Roncoletta.

O comportamento do consumidor, as ferramentas mais inovadoras de pesquisa de consumo, tendências e perspectivas. Exemplo de sucesso de fazenda certificada.

08 de abril – quinta-feira – 19 h

Painel: “Jornada e motivação para a certificação de empresas como amigas do BEA. A certificação BEA no mundo. Desafios para o futuro”, com Chris Leach, Leonardo Araújo, Carla Azevedo e Rogério Rossi.

Como realizar a jornada para a certificação da empresa como Amiga do Bem-Estar Animal. A evolução e o futuro da certificação BEA no mundo. A situação do Brasil e os desafios para a produção de leite no futuro, do ponto de vista da dinâmica de regulamentação e do mercado.

Mais informações sobre o evento: https://www.iilb.com.br/bea

Fonte: Ideagri

Relacionadas

Leia também