O AGRONEGÓCIO MAIS PERTO DE VOCÊ

Balanço Social: Desempenho da Embrapa afere R$61,85 milhões em 2020

O valor do lucro social é decorrente dos benefícios econômicos recebidos pelo setor produtivo com a adoção das soluções tecnológicas geradas pela empresa
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Áudio

A Embrapa acaba de publicar mais uma edição de seu Balanço Social, com dados relativos ao ano de 2020. De acordo com a publicação, a Empresa gerou um lucro social de R$ 61,85 bilhões no ano passado. Esse valor foi obtido a partir da análise do impacto econômico de uma amostra de 152 tecnologias e 220 cultivares desenvolvidas pela empresa, além dos indicadores laborais e sociais.

“O lucro social é um valor decorrente dos benefícios econômicos recebidos pelo setor produtivo com a adoção das soluções tecnológicas geradas pela Empresa”, afirma Graciela Vedovoto, analista responsável pela área de Avaliação de Desempenho da Secretaria de Desenvolvimento Institucional (SDI). Esse valor é calculado por meio da soma dos lucros obtidos pelos adotantes dessas soluções. “Quando relacionamos em 2020 o lucro social de R$ 61,85 bilhões com a receita operacional líquida de R$ 3.48 bilhões, temos então o índice de retorno social de R$ 17,77 para cada real aplicado na Embrapa” detalha Graciela.

A analista esclarece ainda que “em 2020 essa relação foi particularmente elevada porque a Embrapa passou por um Plano de Desligamento Incentivado (PDI) e por uma racionalização de despesas, que fez com que seu orçamento fosse reduzido”, mas pondera: “essa diminuição do denominador da fórmula não é comum ou frequente e é preciso explicar que não houve saltos atípicos em termos de benefícios da pesquisa, mas uma situação relacionada a gestão da empresa”, finaliza Graciela.

Contribuição histórica à sociedade

Esses números sintetizam, sob o aspecto econômico, uma série de contribuições da Empresa à sociedade e estão entre os principais resultados apresentados no Balanço Social. Outro dado importante, também obtido a partir dessa amostra de soluções tecnológicas analisadas é a geração de 41.475 novos empregos em 2020. O benefício econômico proporcionado ao setor produtivo que incorpora a pesquisa da Embrapa nos últimos anos foi muito superior à quantidade de recursos financeiros investidos na Empresa.

Os números do Balanço Social ganharam maior relevância com o surgimento e dispersão mundial do vírus da covid 19. A pandemia desafiou diversos países a lidarem com suas decorrências, inclusive em termos de segurança alimentar. De acordo com Celso Moretti, presidente da Embrapa, “a contribuição da Embrapa para enfrentar a pandemia não ocorreu somente de forma imediata, na disponibilização de seus laboratórios para a produção de testes de identificação do vírus, entre outras iniciativas. Na realidade, as soluções tecnológicas geradas pela Embrapa e seus parceiros nas últimas décadas vêm propiciando à população brasileira o acesso a alimentos em quantidade, qualidade e a preços mais baratos. Esse desempenho histórico faz toda a diferença em momentos como este”. Mesmo com a pandemia, a Embrapa continuou contribuindo sobremaneira para a qualidade de vida da sociedade brasileira.

Desempenho e contribuição histórica

Além da contribuição histórica que chega aos dias atuais, 2020 foi o ano que a Empresa pavimentou novos caminhos e redirecionou sua atuação com o lançamento do VII Plano Diretor, reavaliou sua programação de pesquisa e aprimorou o alinhamento de seu processo de inovação aos Objetivos de Desenvolvimento sustentável (ODS), estabelecidos pela Organização das Nações Unidas. Como se não bastassem esses novos desafios e perspectivas, a Embrapa apresentou uma série de outros resultados em 2020.

Entre eles, a Empresa contribuiu com tecnologias sustentáveis para a mitigação dos efeitos das mudanças climáticas, por intermédio do Plano ABC, iniciativa internacional com dez anos de existência; criou o SpeciFIT, um equipamento de ressonância magnética nuclear para análise de matérias-primas e produtos alimentícios; adaptou um método de regeneração de butiazais, formação vegetal típica do Sul do país, cujo aproveitamento da madeira, folhas e frutos proporciona o aumento de renda; e promoveu, em conjunto com outras instituições, a produção em larga escala da araucária, espécie florestal praticamente exclusiva do Brasil, cuja madeira é de alta qualidade e suas sementes são de alto valor nutritivo. Além disso, a ausência de espécies forrageiras adaptadas à região Sul do Brasil foi resolvida por meio de uma parceria público-privada envolvendo várias unidades da Embrapa, corresponsáveis pelo lançamento de 13 cultivares de forrageiras nos últimos doze anos.

No âmbito do consumidor, a Embrapa contribuiu para a formulação de uma nova norma sobre rotulagem nutricional de alimentos, tornando suas informações muito mais transparentes. Em se tratando de informações, o aplicativo móvel Zarc Plantio Certo, também criado pela Empresa, passou a facilitar a consulta a diversos dados gerados pelo Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc) e a subsidiar a tomada de decisões quanto ao planejamento e execução de atividades no campo. Aliás, mesmo em época de pandemia, a produção e o consumo de informações produzidas pela Embrapa não diminuíram, pelo contrário. O cancelamento de eventos presenciais em razão do surto de Covid-19 deu grande impulso aos cursos, eventos e conferências on line da Empresa em 2020. Os cursos de Educação a Distância (EAD), por exemplo, registraram 411.055 inscrições no ano passado, um crescimento de 1.411% sobre os 27.197 inscritos em 2019.

Com todos esses resultados e perspectivas de atuação, o ano de 2020 demonstrou que uma grande crise mundial não é suficiente para desmobilizar todo um patrimônio material e intelectual formado ao longo de 48 anos. Mesmo inserida em contexto desfavorável, a Embrapa respondeu à altura dos cenários que a ela foram se apresentando.

Fonte: https://www.embrapa.br/balanco-social-2020/apoio Notícias Agrícolas