Açúcar iniciou a semana em baixa nas bolsas internacionais

Contratos futuros do produto recuaram nas bolsas de Nova York e Londres
Share on whatsapp
Compartilhe no WhatsApp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram
açúcar
Áudio

Mesmo com previsão de chuvas para esta semana, o clima na região Centro-Sul do Brasil, principal região produtora de açúcar do país, continua sendo um fator relevante e preocupante.

Em Nova York, na ICE, o açúcar bruto, no vencimento julho/21, fechou cotado ontem em 17,38 centavos de dólar por libra-peso, 33 pontos a menos do que a cotação de sexta-feira, ou 1,9%. Já a tela outubro/21 foi comercializada em 17,47 cts/lb, baixa de 30 pontos no comparativo com a véspera. Os demais contratos recuaram entre 9 e 26 pontos. 

Segundo informações de operadores à Reuters, foram registradas na segunda-feira (07/06) algumas realizações de lucros por especuladores, “que estão mantendo grandes posições compradas no adoçante, uma vez que os preços do petróleo também recuaram”. 

Em Londres, o açúcar branco também fechou a segunda-feira em baixa em todos os lotes. No vencimento agosto/21 a commodity foi negociada em US$ 459,30 a tonelada, recuo de 7,20 dólares comparando com os preços de sexta-feira (04/06). Já a tela outubro/21 caiu 5,80 dólares negociada em US$ 463,20 a tonelada. Os demais contratos recuaram entre 3,60 e 5,50 dólares. 

No mercado doméstico, o açúcar cristal também iniciou a semana em baixa pelo Indicador Cepea/Esalq, da USP. Ontem, a saca de 50 quilos foi negociada em R$ 116,56, pequena variação negativa de 0,18% no comparativo com os preços praticados na sexta-feira. 

Açúcar x Etanol hidratado 

Já o etanol hidratado medido pelo Indicador Diário Paulínia começou a semana em alta. Ontem, o metro cúbico do biocombustível foi negociado a R$ 3.085,00, contra R$ 3.078,50 de sexta-feira, valorização de 0,21% no comparativo entre os dias. 

Fonte: Agência UDOP de Notícias 
Crédito da foto: Divulgação

Leia outras notícias no portal MAB

Relacionadas

Veja também

Intitulado de SONDA, a nova solução da empresa combate as principais plantas daninhas que afetam a produtividade na lavoura
Surpreendentemente, carnes fecham o mês de setembro com novo recorde na receita cambial proveniente de exportações de carne bovina.
O presidente institucional da Abramilho, Cesario Ramalho, avaliou, em entrevista para o “Valor”, o cenário para safra verão 2021/22.
Entre eles, o etanol como uma das pontes para a nova era da mobilidade sustentável.