O AGRONEGÓCIO MAIS PERTO DE VOCÊ

Abóbora híbrida recordista de produtividade

Variedade híbrida da abóbora japonesa supera 36 toneladas de produtividade média em lavoura mineira
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Áudio

Com sua textura macia e seu sabor levemente adocicado, a abóbora japonesa, também conhecida como kabocha, é requisitada nas mais variadas mesas. Abóboras pertencem à família das cucurbitáceas, que engloba também a melancia, o melão e o pepino, entre outros parentes. A kabocha é um legume híbrido, resultado da união entre as espécies máxima (moranga) e a moschata (menina brasileira). A combinação surgiu no Japão, onde a palavra kabocha é usada para designar abóboras em geral.

Uma das características marcantes dessa variedade é sua casca verde-escura, resistente e rugosa, que, por sinal, é um dos motivos do seu sucesso. “A casca bem dura facilita o transporte em longas distâncias, diminuindo o número de exemplares que chegam rachados”, explica a pesquisadora científica do Instituto Agronômico de Campinas (IAC), Arlete Tavares de Melo. Ao escolher esse tipo de abóbora, uma dica é optar por aquelas com a casca sem brilho, sinal de que já estão maduras.

Mas, olhando pelo lado do produtor, o que ele busca ao escolher sementes de abóbora japonesa é, invariavelmente, boa adaptação para o plantio, rendimentos, geração de frutos uniformes de alta produtividade.

A lavoura do produtor Giovani Oliveira, em Lagamar (MG), é um exemplo dos bons números de rendimento da abóbora. O produtor destaca que planta anualmente uma média de 400 hectares da variedade, que é comercializada, principalmente, para São Paulo e Belo Horizonte, mas este ano também seguiu viagem para o Paraguai. “Escolhi a híbrida Takayama, da linha de alta tecnologia Topseed Premium, entre as outras abóboras, porque foi a variedade que mais se destacou em produtividade. O conjunto semente, adubação e parte técnica funcionou como um todo para gerar esse resultado”.

O especialista em cucurbitáceas da Agristar do Brasil, Rafael Zamboni, explica os fatores de destaque da variedade Takayama. “Alta rusticidade, rigidez de casca e espessura da polpa da abóbora são características que permitem a adaptabilidade a todas as regiões brasileiras e garantem qualidade para viagens de longa distância, além de mais tempo de prateleira nos supermercados”.

Em 90 hectares de área, a produtividade média da Takayama superou 36 toneladas de frutos vendidos, de acordo com o consultor técnico de vendas Topseed Premium, Douglas Santos Morais.

A variedade da Takayama está no mercado brasileiro há mais de 30 anos. E a Agristar, fundada em 1958, é uma das maiores empresas do país na produção e comercialização de sementes de hortaliças e frutas.

Fontes: Agristar/ Instituto Agronômico de Campinas (IAC)

Foto: Divulgação