O AGRONEGÓCIO MAIS PERTO DE VOCÊ

Assinado o projeto para ampliar acordos comerciais no setor de café solúvel, entre ABICS e APEX-Brasil

O documento foi assinado na última quarta-feira, 31, e prevê ações diretas aos países: Arábia Saudita, Emirados Árabes, Mianmar, Indonésia, Turquia, Filipinas, Coreia do Sul, Cingapura e China.
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
ground black coffee in a cup with a saucer
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Áudio

Projeto para estimular ampliação de acordos comerciais no setor de café solúvel foi assinado na última quarta-feira, 31, entre ABICS (Associação Brasileira de Indústria de Café Solúvel) e da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos, durante reunião virtual. Neste documento, o objetivo é atingir diretamente: Arábia Saudita, Emirados Árabes, Mianmar, Indonésia, Turquia, Filipinas, Coreia do Sul, Cingapura e China.

Esta ação foi aprovada para que o Brasil diminua a alta da taxa no café solúvel, por conta da falta de acordos comerciais. Inclusive um comparativo demonstra que de mais de 120 países que compram o café solúvel apenas 1/3 deles cobram tarifa menor que 5%. O restante trabalha com impostos de importação até 45%, o que interfere na positivamente na concorrência de outros países que estimulam acordos no setor.

Em nota o diretor de Relações Institucionais da ABICS, Aguinaldo Lima, destaca que quer obter um aumento de 50% nas exportações – em relação ao plano estratégico traçado em 2015 do setor de café solúvel para ser cumprido até 2025. O ano de 2020 gerou uma receita de US$537 milhões com aproximadamente quatro milhões de sacas que saíram do Brasil. E nacionalmente, foi comercializado um milhão de sacas.

Líder mundial de exportação de café

O Brasil sempre ranqueou entre os primeiros lugares na produção de café solúvel, com mais de 14% no mercado mundial e 15% de Market share somente na exportação. E apenas seis indústrias do Brasil, ensacaram mais de cinco milhões de sacas de café no ano passado, ou seja, 60 kg de café solúvel.

ABICS e APEX-Brasil

Os presidentes da ABICS, Pedro Guimarães, e da (APEX-Brasil), Sergio Segovia, estão muito confiantes neste projeto de acordos comerciais do café solúvel. “Ter ao apoio do Governo Federal na inclusão do produto em acordos comerciais de blocos econômicos, negociações bilaterais, acordos tarifários individuais e pontuais, entre outros, nos deixa muito satisfeitos”, diz em nota o diretor da Abics.

Equipe Agrovenki