O AGRONEGÓCIO MAIS PERTO DE VOCÊ

Vinícola gaúcha conclui safra de uvas com produção de 90 milhões de kg

Produção representa 12% da estimativa total da matéria-prima para processamento do Rio Grande do Sul
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Áudio

A safra de uvas na Vinícola Aurora foi concluída na última sexta-feira (19/03). Colhida pelas 1,1 mil famílias associadas à empresa, a vindima 2021 da maior cooperativa do setor do Brasil soma 90 milhões de quilos da fruta destinada à elaboração de produtos vinícolas. As primeiras variedades foram recebidas no dia 29 de dezembro. O volume representa 12% da projeção total estimada para o Rio Grande do Sul, o principal polo vitivinícola do país, que neste ano deverá chegar a cerca de 750 milhões de quilos da matéria-prima para processamento, segundo a Federação das Cooperativas Vinícolas do Rio Grande do Sul (Fecovinho).

Ao todo, a produção foi realizada em 2,8 mil hectares de vinhedos, localizados em 11 municípios da Serra Gaúcha – todos na região de Bento Gonçalves, sede da empresa. Das 60 variedades produzidas pelos cooperados, as primeiras uvas recebidas foram a Chardonnay e a Pinot Noir e as mais tardias foram as Moscatos, as Cabernets Sauvignon e Franc e a BRS Carmen. Durante todo o processo vegetativo, os vinhedos são acompanhados pelas equipes técnicas, agrícola e enológica.

“Estamos muito satisfeitos com a safra deste ano e com o empenho e a dedicação das famílias associadas. Teremos produtos muito bons, mesmo diante do grande volume. A qualidade, especialmente das uvas precoces, como Chardonnay, Pinot Noir e Riesling, está excelente. Neste ano, pela própria natureza, as uvas para espumantes vieram muito especiais, sem que tivéssemos de antecipar a colheita para o equilíbrio ideal das variedades. Também tivemos um bom comportamento na Merlot, nas Cabernets Sauvignon e Franc e nas Malvasias. Nenhuma variedade de uva ficou devendo no quesito qualidade”, avalia o presidente do Conselho de Administração da Vinícola Aurora, Renê Tonello, que é viticultor da cooperativa.

O coordenador agrícola da vinícola, Maurício Bonafé, explicou o sucesso da produção: “A temperatura foi estável durante a brotação, o que favoreceu no desenvolvimento e, consequentemente, fez com que a videira produzisse mais. De modo geral, as plantas estavam equilibradas e conseguiram distribuir bem os seus nutrientes, o que não comprometeu a qualidade da uva”, analisa o agrônomo. “Neste ano, o volume veio a nosso favor, já que, devido às vendas históricas em 2020, ficamos praticamente sem estoque de produtos e, alguns deles, como o moscatel, tivemos que suspender as comercializações por falta da bebida. Com o volume de uvas deste ano, estamos voltando aos estoques normais da cantina.”

Com as uvas recebidas, os tanques já estão em pleno funcionamento nas unidades da Vinícola Aurora. A previsão é que os primeiros produtos elaborados da safra 2021 cheguem aos consumidores ainda em março.          

De acordo com o enólogo-chefe da empresa, Flavio Zilio, os sucos de uva já estão sendo produzidos e deverão ser encontrados nas prateleiras nos próximos dias. Na sequência, em abril, serão engarrafados os vinhos brancos de mesa e os espumantes moscatéis, e em maio será a vez dos vinhos brancos jovens, como Riesling, e os tintos de mesa. Entre agosto e setembro, as primeiras garrafas de vinhos tintos viníferas, como Pinot Noir, chegam às lojas.

“Nos vinhos tintos, o consumidor pode esperar bastante sutileza e elegância, além de aroma intenso. Entretanto, não serão vinhos tão encorpados quanto os de 2020, que possibilitavam um maior potencial de guarda. Mas isso não é um demérito. Serão vinhos diferentes da safra anterior, mas ambos com suas virtudes. Já os brancos, serão vinhos bem refrescantes e aromáticos, com elegância e a acidez pronunciada na medida”, analisa o enólogo-chefe.

Com relação ao produto mais vendido no mercado, o suco de uva integral, a qualidade se manterá: “No suco, o público encontrará um produto com uma cor muito boa, tanto em tonalidade quanto intensidade”, assegura Zilio.

Fonte: Notícias Agrícolas