Search
Close this search box.

Uso de probióticos em aves e suínos

10 de agosto de 2023

Os probióticos gradativamente ganham mais atenção principalmente na produção intensiva de aves e suínos
Compartilhe no WhatsApp
Uso de probióticos em aves e suínos

Cada vez mais os probióticos estão fazendo parte da nossa alimentação e suplementação diária, consumidos por meio de iogurtes, queijos ou pastilhas probióticas. Assim como nós utilizamos os probióticos para promoção, principalmente, da saúde e regulação entérica, na indústria animal esses produtos gradativamente ganham mais atenção principalmente na produção intensiva de aves e suínos. Sua aplicação pode variar entre regiões e/ou países, uma vez que os desafios e as necessidades são distintos, mas sempre com o objetivo principal de aumentar a rentabilidade na produção.

Probióticos são microrganismos vivos, que quando suplementado em quantidades adequadas, promovem saúde ao hospedeiro (WHO; OMS, 2001). Ademais, promovem o equilíbrio da microbiota do trato gastrointestinal, favorecendo a saúde de aves e suínos neste sistema. Como foi dito anteriormente, dentro desta indústria, os desafios e as necessidades são muito diferentes e, por esta razão, é importante que se procure entender as características de cada cepa para encontrar a melhor solução probiótica para cada desafio.

Na produção animal, a seleção de microrganismos é fundamental no processo de lançamento de um novo probiótico. Primeiro ocorre a triagem de cepas com caraterísticas desejáveis. Neste processo, algumas cepas são selecionadas objetivando a promoção de saúde e outras para a melhoria do desempenho zootécnico. Após este criterioso processo, ainda se faz necessário comprovar a sobrevivência da cepa probiótica no ambiente gastrointestinal, a capacidade de suportar ao baixo pH, altas concentrações de ácidos biliares, capacidade de aderência, poder de colonização no epitélio intestinal bem como a compatibilidade com antibióticos usualmente empregados. Além disso, o probiótico escolhido deve tolerar os processos usuais de fabricação (ex: peletização), transporte e armazenagem da ração.

Autor: Fernando Augusto de Araújo é médico-veterinário e gerente de produto da Cinergis

Por Avisite

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil 

Relacionadas

Veja também

Entre janeiro e junho, foi exportado quase o mesmo volume de peixes, em valores, de todo o ano passado
Doença em um aviário comercial no Rio Grande do Sul gerou fortes reflexos para os frigoríficos na B3
No periódico Current Microbiology, pesquisadores do Instituto de Tecnologia de Alimentos descreveram três cepas de bactérias do gênero Lactobacillus em queijos que podem beneficiar a saúde humana e atender às demandas da indústria queijeira