Search
Close this search box.

Ucrânia deve manter estável área plantada em 2024

13 de fevereiro de 2024

Os agricultores ucranianos semearam um total de 12,75 milhões de hectares de culturas de primavera para a colheita de 2023
Compartilhe no WhatsApp
Ucrânia deve manter estável área plantada em 2024
Campo de trigo na Ucrânia – Foto: Valentyn Ogirenko – Reuters

A Ucrânia espera que a área semeada na primavera de 2024 seja a mesma do ano passado, embora possa haver uma ligeira redução no pior cenário, disse à Reuters o ministro da Agricultura ucraniano Mykola Solsky nesta sexta-feira (9).

A Ucrânia é um importante produtor mundial de grãos e sementes oleaginosas, mas suas colheitas diminuíram desde que a Rússia invadiu e ocupou uma parte significativa do território.

A guerra, agora em seu 24º mês e sem fim à vista, elevou os preços globais dos grãos e interrompeu o fornecimento, especialmente para os países mais pobres.

“Não espero mudanças drásticas em termos de área de plantio. Se a área semeada for menor, será uma redução muito insignificante”, disse Solsky em entrevista, fornecendo a primeira perspectiva oficial para a temporada de 2024.

Os agricultores ucranianos semearam um total de 12,75 milhões de hectares de culturas de primavera para a colheita de 2023, incluindo 5,7 milhões de hectares de vários grãos.

A área cultivada incluiu 4 milhões de hectares de milho, 5,3 milhões de hectares de girassol e 1,78 milhão de hectares de soja.

Solsky disse que os agricultores semearam uma área menor de trigo de inverno no outono passado devido ao clima ruim, o que poderia forçá-los a aumentar a área com trigo de primavera. A Ucrânia semeou 280.000 hectares de trigo de primavera no ano passado.

A Ucrânia semeou 4,2 milhões de hectares de trigo de inverno para a safra de 2024, contra cerca de 4,4 milhões de hectares no ano anterior.

“Definitivamente, não haverá aumento na área total. Admito sua redução, e a pergunta que surge imediatamente é: o que semear então? Temos apenas três opções: girassol, soja e milho”, disse o ministro.

Solsky disse que a escassez de fundos dos agricultores causada pela guerra e as dificuldades com as exportações os forçaram a economizar dinheiro e usar sementes de trigo de qualidade inferior.

Ele disse que o trigo de inverno sobreviveu ao inverno até agora sem danos graves, mas a qualidade da futura colheita não está clara.

Por Reuters

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

São Paulo enfrenta desafios ainda maiores devido aos altos custos para o setor produtivo do leite e por ser o maior mercado consumidor do país.
Para participar é necessário que a família esteja inscrita no Cadastro Único e viva no meio rural, com renda mensal de até R$ 218 por integrante
Reunião para discutir o tema foi realizada na terça (21), em Brasília
Em 2023, a CNI contabilizou 85 entraves às exportações nacionais contra 77 no levantamento do ano anterior