Search
Close this search box.

Tradição e Modernidade: Primeiros Cavalos Crioulos serão microchipados na Marcha Anual de Resistência 2023

26 de maio de 2023

Na 21ª Edição, que acontecerá entre os dias 24 de junho a 08 de julho, em Jaguarão/RS, os Cavalos Crioulos receberão Microchips de Identificação. 
Compartilhe no WhatsApp
Tradição e Modernidade: Primeiros Cavalos Crioulos serão microchipados na Marcha Anual de Resistência 2023
Foto: Fagner Almeida

Integrante do consolidado tripé seletivo da Raça, a tradicional Marcha Anual de Resistência, carrega consigo a imagem de homens e Cavalos Crioulos, que desafiam seus limites, percorrendo quilômetros de distâncias, dias após dias, sob as mais variadas condições meteorológicas, possibilitando assim feitos históricos.

O caminhar da evolução, seguiu a trote largo, e agora, na 21ª Edição, que acontecerá entre os dias 24 de junho a 08 de julho, em Jaguarão/RS, mais um marco na história da modalidade que traz a tecnologia a favor da tradicionalidade, onde os primeiros Cavalos Crioulos receberão Microchips de Identificação

Durante a admissão para a Concentração da Marcha Anual de Resistência 2023, que acontece no dia 25 de maio, os animais inscritos poderão receber os Chips de Identificação, sendo assim, oficialmente serão os primeiros animais microchipados da raça.

A Comissão da Marcha disposta e buscando sempre melhorar a modalidade, cedeu o evento para iniciar o projeto, que ajudará no controle de informações e facilitará na busca das mesmas durante eventos, como explica Luis Mario Diaz, Coordenador da Subcomissão da Marcha Anual de Resistência, “Atendemos de imediato quando solicitados para que haja a evolução da modalidade, acreditamos que a microchipagem nos ajudará e facilitará em muito na identificação e controle dos animais durante as admissões, assim como futuramente será um grande aliado no controle sanitário dos animais”.

O Superintendente do Serviço de Registro Genealógico, Frederico Araújo, destaca a importância da identificação dos animais tanto durante eventos, quanto no controle dentro do banco de dados da Associação:

Será o pontapé inicial com os primeiros animais a receberem o chip de identificação dentro da raça. O trabalho será realizado por um técnico treinando para a implantação do material, que já está credenciado e habilitado a prestar o serviço pela Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos – ABCCC; acompanhado do Responsável Técnico da Tecnologia de Informação – TI, também da Casa, que irá registrar todos os dados, alimentando assim o sistema, linkado ao Registro Genealógico, facilitando assim, futuramente, as buscas sobre informações desse animal e admissão nas modalidades que ele for participar”

Os proprietários neste primeiro momento, poderão aderir ou não ao novo serviço, não sendo obrigatório. “Além da facilidade e rapidez que os chips irão gerar durante as modalidades dentro dos Eventos Oficiais do Cavalo Crioulo, assim como banco de dados, os proprietários poderão utilizar dos mesmos para gerenciar banco de dados dentro da sua criação.

Aqueles que forem adeptos da implantação durante a Concentração da Marcha, não terão custos, e receberão um desconto de 50% sob o valor de inscrição, em crédito de emolumentos futuros. Ainda não será obrigatório, mas seguimos exemplos de estados como São Paulo, o qual já utiliza do sistema para controle sanitário e obrigatório do seu rebanho” enfatiza Frederico.

Por ABCCC

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Confinamento alcança 7,379 milhões de cabeças e destaca a importância da tecnologia e gestão para aumentar a produtividade no setor
Produção de frangos e ovos é destaque no Distrito Federal. A grande demanda da região por produtos de origem animal resulta nos quase 6 mil produtores cadastrados na Emater-DF
A Pecuária é responsável por US$ 1,37 bilhão das exportações sul-mato-grossense
Comitivas internacionais da América Latina, África e Ásia são esperadas no Parque da Gameleira