Search
Close this search box.

Tendências de consumo que já estão no gosto do consumidor

4 de abril de 2023

Mesmo com o orçamento limitado, hábitos de consumo adquiridos durante a pandemia em muitos países devem se manter neste período pós-pandemia
Compartilhe no WhatsApp
Tendências de consumo que já estão no gosto do consumidor

Consumidor mais consciente com o que come. Dados do relatório “Sinais de Fome” da KPMG revela que mais da metade dos entrevistados (56%) – número retirado da pesquisa Consumer Survey (2022) – disse que sua visão sobre alimentação saudável aumentou no último ano e a maioria (88%) acredita que uma dieta saudável pode aumentar a expectativa de vida e fortalecer o sistema imunológico. E os HFs são imprescindíveis nesta tendência! Os hortifrútis têm alta densidade nutricional, o que significa que fornecem nutrientes com poucas calorias.
 

E-COMMERCE e N-COMMERCE

As vendas on-line estão aceleradas desde 2020 e devem continuar neste ritmo, mas a Kantar indica que o e-commerce passa por uma reconfiguração. O WhatsApp, aplicativo de conversas que tem sido muito usado como ferramenta de negócio, acaba sendo reduzido, com consumidores voltando às compras físicas após o período de restrições.

A Mckinsey & Company adotou um termo interessante, o “n-commerce”, que significa que o consumidor escolhe o canal que oferecer “n” opções. Assim, dependendo do produto, o consumidor escolhe adquiri-lo pelo canal virtual ou físico. No caso dos HFs, apesar das limitações do comercio eletrônico para produtos frescos, o uso da tecnologia no processo de aquisição veio para ficar e é um grande aliado junto de lojas físicas.
 

Plant-Based

A nutrição à base de vegetais, que também tem como foco a sustentabilidade e o desperdício de alimentos, não sairá de moda tão cedo. As dietas veganas, vegetarianas e flexitarianas estão atraindo cada vez mais pessoas que reconhecem seus benefícios para o corpo e também para o planeta. Os consumidores também estão incluindo mais vegetais no cardápio por se preocuparem com o meio ambiente.

Análises, como a feita na Universidade de Oxford, mostram que comer carne produz duas vezes mais emissões de gases de efeito estufa por dia do que uma dieta à base de vegetais, ou plant-based. Outros estudos evidenciam também que o cultivo de vegetais utiliza menos recursos naturais e é menos prejudicial ao meio ambiente do que a criação de animais. Assim, o maior estímulo aos HFs como ingredientes protagonista das refeições tem um impacto positivo enorme na produção, sobretudo nos meios mais sustentáveis de sistema de cultivos.
 

Sustentabilidade

O aumento do custo de vida está criando um novo comportamento sustentável, segundo a Euromonitor. O alerta é que os consumidores estão relutantes em pagar mais caro por produtos sustentáveis, e os modelos de negócios devem procurar unificar a economia de custos com o comércio verde. O relatório “Sinais de Fome”, da KPMG, revela que 37% dos consumidores dos EUA, em 2022, preferiam comprar comida de empresas comprometidas com a sustentabilidade, número três vezes maior do que três anos antes. Conforme a Euromonitor, no ano passado, menos de um quinto dos consumidores globais estava disposto a pagar mais por utilidades domésticas essenciais com características sustentáveis. Essa dinâmica do mercado estimulou “atividades verdes”, como consertos, compras de segunda mão e aluguel.

Por Notícias Agrícolas

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

O saldo alcançou US$9,42 bilhões, aumento de 14,2% em comparação ao mesmo período do ano anterior
Programas de destaque incluem “Vivenciando a Prática”, que já mostrou realidade do agronegócio a mais de 30 mil estudantes e professores, e a Agroteca Digital
O estudo foi realizado pela HR Tech Mereo, plataforma integrada de gestão de pessoas presente em cerca de 40 países, responsável por atender a 10% das 500 maiores empresas do Brasil.
Totalizando R$ 228,6 bilhões o valor representa 22,2% do total do PIB estadual