Search
Close this search box.

Ministro defende investimento em tecnologia e pesquisa para avançar no desenvolvimento sustentável

7 de março de 2023

Em lançamento do Clube de Inovação Soja, ministro Carlos Fávaro falou sobre a necessidade de mostrar a eficiência e sustentabilidade da produção brasileira para melhorar a imagem no exterior
Compartilhe no WhatsApp
Ministro defende investimento em tecnologia e pesquisa para avançar no desenvolvimento sustentável
Ministro da Agricultura e Pecuária, Carlos Fávaro, no lançamento do Clube de Inovação Soja, em Campinas (SP) – Foto: Divulgação MAPA

O ministro da Agricultura e Pecuária, Carlos Fávaro, participou do lançamento do Clube de Inovação Soja, em Campinas (SP). Na ocasião, destacou dois pontos como desafios de sua gestão: melhorar a imagem do produtor rural brasileiro no exterior e o fortalecimento da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

“O mercado externo não sabe que a imensa maioria dos nossos produtores e produtoras atuam com muita competência e respeito ao meio ambiente. Esse é o desafio: mostrar que nossos produtores são eficientes, modernos e respeitam o meio ambiente”, afirmou.

Segundo Fávaro, produzir de forma sustentável é um grande salto de qualidade. E a produção sustentável não se traduz, necessariamente, em uma estratégia de desintensificação da agricultura. “A redução da escala de produção pode ser um modelo para alguns países. Mas o que serve para um não serve para outro. O que interessa é o resultado final: produzir e respeitar o meio ambiente. Defendo a proposta de produzir com sustentabilidade e intensificação.”

Para isso, a ideia é incorporar à agricultura cerca de 40 milhões de hectares hoje ocupados pela pecuária. “Com isso, praticamente dobramos tudo o que foi feito de 1500 até agora e tiramos a pressão sobre o desmatamento”, afirmou o ministro. Essa política cria oportunidades para os setores de máquinas e equipamentos, sementes, defensivos, além de gerar empregos na cidade e no campo. “Para isso, precisamos de inovação tecnológica”, reforçou.

Embrapa

Nesse momento, Fávaro falou da importância da Embrapa para o agro brasileiro. “Certamente não tem nenhum dos cerca de 5.500 municípios que não tenha uma tecnologia aplicada na roça, no campo, que não tenha sido gerada pela Embrapa.”

A empresa de pesquisa, que em 2023 comemora 50 anos, deve ser fortalecida pelo Mapa. A ideia é definir qual a Embrapa do futuro, o que a empresa pública precisa começar a pesquisar e com quem. Parceria com a iniciativa privada é um dos caminhos apontados pelo ministro para fortalecer a atuação da empresa. “Inovação e sustentabilidade são as palavras de ordem”, finalizou.

Inovação

Para o lançamento do Clube de Inovação Soja, a Bayer convidou 130 pessoas que representavam 48 entidades de 18 Estados brasileiros. De acordo com Fernando Prudente, diretor dos Negócios de Soja e Algodão da Bayer no Brasil, 90% dos tomadores de decisões relativas à cultura estavam presentes.

A ideia do clube é aproximar e fortalecer os elos da cadeia da sojicultura, atuando de forma conjunta. Segundo dados apresentados por Fernando, as exportações do agro brasileiro movimentam US$ 159 bilhões, sendo que a soja responde por 38% desse volume, ou seja, US$ 60,95 bilhões. A cultura representa 60% da área plantada no Brasil. Os membros do grupo devem se reunir em outras oportunidades durante o ano e um novo encontro do Clube de Inovação está agendado para agosto.

Três ex-ministros da Agricultura participaram do evento: Alysson Paolinelli, Roberto Rodrigues e Neri Geller. Integraram a comitiva do Mapa os secretários Roberto Perosa (Comércio e Relações institucionais), Renata Bueno Miranda (Inovação, Desenvolvimento Sustentável, Irrigação e Cooperativismo) e o assessor especial Carlos Ernesto Augustin. Eles foram recepcionados pelo superintendente de Agricultura e Pecuária substituto de São Paulo, Esequiel Liuson, e pelo chefe da Divisão de Defesa Agropecuária (DDA-SP), Danilo Tadashi Kamimura.

Por MAPA

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Safra total de milho foi estimada em 114,14 milhões de toneladas, um acréscimo de 2,5 milhões de toneladas em relação ao previsto no mês passado; área plantada deve crescer 1% e produtividade deve avançar 1,2%
O saldo alcançou US$9,42 bilhões, aumento de 14,2% em comparação ao mesmo período do ano anterior
Programas de destaque incluem “Vivenciando a Prática”, que já mostrou realidade do agronegócio a mais de 30 mil estudantes e professores, e a Agroteca Digital
O estudo indicou que a conectividade no agro, que antes era uma novidade, agora se tornou uma tendência emergente.