Search
Close this search box.

Soluções robóticas no campo surgem como alternativa para melhorar produtividade do agronegócio

9 de junho de 2023

Além de ser essencial para prover a alimentação para quase 8 bilhões de pessoas, a agricultura também tem sido um dos principais celeiros de grandes inovações.
Compartilhe no WhatsApp
Soluções robóticas no campo surgem como alternativa para melhorar produtividade do agronegócio

Com novos desafios de um mundo moderno altamente tecnológico, o campo tem tomado a liderança no sentido de oferecer formas mais eficientes de trabalho. E não é somente para aumentar a produtividade que as novas soluções acontecem. Na verdade, especialistas e empreendedores propõem ideias para solucionar problemas como a crescente falta de mão-de-obra qualificada.

De acordo com a pesquisa “Profissões Emergentes na Era Digital”, realizada pela Agência Alemã de Cooperação Internacional (GIZ), em parceria com o Senai e a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), há atualmente uma defasagem entre a formação de profissionais e as reais necessidades do campo.

“A digitalização está ampliando as oportunidades de emprego, porém para profissionais mais qualificados. Profissionais nesta área precisam de conhecimentos para utilização dos softwares existentes para o processamento de todas as informações da propriedade e tomada de decisão, mas com constante atualização, já que os programas e equipamentos ficam rapidamente defasados”, narra trecho do estudo.

O levantamento mostra ainda que, a longo prazo, o Brasil deve precisar de quase 150 mil profissionais qualificados em áreas como técnico em agricultura digital, técnico em agronegócio digital e engenheiro agrônomo digital. E as inovações do campo são importantes também para lidar com gargalos como a questão ambiental.

Em um cenário de escassez de água, as novas tecnologias do campo estão diminuindo o consumo e otimizando a irrigação a partir de água reaproveitada, por exemplo. Com o aumento da produtividade sem ocupar maiores faixas de terra, o agronegócio também evita novas ocupações e contribui com a preservação de mais áreas verdes.

“A tecnologia no campo tem servido não só como um vetor para disponibilizar produtos agrícolas e alimentos cada vez melhores, mas também para contribuir com objetivos de sustentabilidade. A aplicação da inteligência artificial, computação em nuvem, robótica e outras soluções é o que faz com que principalmente a agricultura brasileira seja referência de inovação”, diz Leonardo Luvezuti, diretor de negócios da Perfect Flight, agtech brasileira que oferece serviços de gestão e rastreabilidade  de aplicações aéreas e que está presente nos EUA e América Latina. 

Os benefícios da robótica no campo 

Soluções tecnológicas estão presentes em todos os setores da sociedade, inclusive no campo. Um relatório feito pela Embrapa, Sebrae e Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) mostrou que 84% dos agricultores brasileiros utilizam algum tipo de tecnologia digital na produção.

Os trabalhadores e trabalhadoras rurais se beneficiaram principalmente da disseminação do sinal da internet para aproveitar ferramentas como GPS, aplicativos, realidade virtual, sensores, drones e vários tipos de robôs que realizam de maneira automatizada diversas tarefas como colheita. A Perfect Flight oferece, por exemplo, uma plataforma de gestão e rastreabilidade que mapeia as áreas agrícolas com o Google Maps.

Com um sistema construído em cloud, os produtores podem acessar a ferramenta através de computadores, smartphones e tablets, tornando a pulverização – que pode ser feita com robôs como drones – mais otimizada. “Informatizar processos e aplicar soluções como robótica têm sido quase um imperativo no campo, já que a maioria do setor já passou pela revolução tecnológica.

Com tanta competitividade e profissionalismo, os produtores já sabem que apostar nestas ferramentas melhoram os produtos agrícolas e da pecuária. Hoje em dia já não é possível mais imaginar um pasto ou cultivo  sem nenhuma tecnologia aplicada”, defende Leonardo Luvezuti. Luvezuti cita que o software da Perfect Flight melhora a precisão da aplicação aérea, consequentemente ajudando na preservação ambiental, reduzindo o uso dos defensivos agrícolas e a quantidade de água utilizada.

Sistemas do tipo ainda promovem a diminuição do tempo de voo de aeronaves e dos drones que pulverizam as lavouras, do uso de combustível e ainda cortando a emissão de poluentes. Ele elenca ainda outros benefícios do uso de tecnologias como a robótica no campo:

  • Facilita a execução de trabalhos que seriam extenuantes para pessoas;
  • Aumenta o rendimento operacional e a produtividade dos pastos e lavouras;
  • Melhora a eficiência do plantio, pulverização e colheita;
  • Reduz significativamente o desperdício de insumos e diminui o descarte de alimentos que não receberam o tratamento adequado.

Setor rentável O agronegócio é sabidamente um dos motores da economia mundial e brasileira. O Valor Bruto de Produção (VBP) ficou registrado em R$ 1,189 trilhão em 2022, o segundo maior da série histórica do país, de acordo com o Ministério da Agricultura. No quesito representação econômica, o agro fechou o ano passado correspondendo a 24,8% de todo o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil. Ou seja, quase um quarto da nossa economia depende exclusivamente da pecuária e da agricultura.

A pujança financeira do setor aparece em forma de investimentos e crescimento no número das startups. O Radar Agtech Brasil informou que de 2021 para 2022 houve um aumento de 7,5% no número das agtechs (ou agritechs).

No quesito investimentos, a alta apenas nas chamadas agfoodtechs aumentaram em 85% entre 2020 e 2021. Leonardo argumenta que a mecanização e robotização do agronegócio responde não somente a melhora e otimização na produção, mas também ao aumento dos investimentos. Ele diz que os investidores enxergam com bons olhos o setor justamente porque entendem que a profissionalização nos trabalhos é um fator que efetivamente entrega retorno financeiro. “Aplicar soluções inovadoras antes, dentro e depois da fazenda também impacta o bolso de produtores já no curto prazo.

Contando com ferramentas de ponta, é possível mirar preços melhores, uma vez que o país exporta em grande parte os insumos que produz”, sustenta. Neste cenário, as agtechs brasileiras já conseguem competir e ingressar em outros mercados internacionais. A Perfect Flight, por exemplo, que conta com mais de 32 milhões de hectares rastreados, já está operando em mais de 100 cidades brasileiras e na América Latina. A empresa abriu, inclusive, um escritório em Iowa, nos Estados Unidos, para atender aos produtores locais. “A inovação está no sangue do brasileiro e nosso agronegócio mostra como estamos sempre aplicando o que há de melhor no mundo.

A robótica e a tecnologia de maneira geral não devem ser encaradas como ferramentas que tomarão lugares de pessoas, mas sim como soluções que abrirão novos postos de trabalho tornando o produto agropecuário brasileiro ainda mais competitivo”, finaliza Leonardo Luvezuti. 

Por Souagro.net

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Dados mostram que serão produzidos 193,15 mil litros, abaixo do recorde de 580,22 mil litros do período anterior
Criação de canais de atendimento exclusivos e especializados e melhorias na rede elétrica no interior integram série de ações previstas no Cemig Agro.
Safra total de milho foi estimada em 114,14 milhões de toneladas, um acréscimo de 2,5 milhões de toneladas em relação ao previsto no mês passado; área plantada deve crescer 1% e produtividade deve avançar 1,2%
O saldo alcançou US$9,42 bilhões, aumento de 14,2% em comparação ao mesmo período do ano anterior