Search
Close this search box.

Soja fica em cima do muro antes de subida de juros nos EUA; milho e trigo seguem em baixa

27 de julho de 2023

Soja opera sem direção clara nesta quarta, à medida que o mercado esperada decisão de juros nos EUA
Compartilhe no WhatsApp
Soja fica em cima do muro antes de subida de juros nos EUA; milho e trigo seguem em baixa

Os contratos futuros de soja operavam em cima do muro nesta quarta-feira (26) em Chicago (CBOT), até então sem nenhuma direção clara antes de momento decisivo nos Estados Unidos.

Afinal, o banco central dos EUA (no caso o Federal Reserve) se prepara com o seu Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) para definir o futuro das taxas de juros no país.

Dessa maneira, os operadores de mercado apostam em uma alta de juros de 0,25 ponto percentual. Se confirmada as projeções, a taxa de juros avança para o patamar 5,25% a 5,50%.

Portanto, o ciclo de aumento de juros nos EUA também acarreta reflexos aos ativos de risco, como também às commodities agrícolas.

Por outro lado, os traders continuam digerindo o último relatório do USDA, que rebaixou as áreas em boa qualidade da soja.

Enquanto isso, os futuros do milho e do trigo seguem realizando lucros em Chicago, com cotações elevadas pela tensão entre ucranianos e russos no Mar Negro.

Soja e milho realizam lucros

Por volta das 8h30 (horário de Brasília), o contrato da soja, com vencimento em novembro, caía 1,25 centavo.

Assim, o grão chegou a valer US$ 14,18 por bushel, ligeira queda de 0,09% na CBOT.

Já o contrato de milho, com vencimento em dezembro, perdia 7,50 centavos, US$ 5,57 por bushel, recuo de 1,3%.

Por Money Times

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil 

Relacionadas

Veja também

Com 2,8 milhões de toneladas, o Brasil se posiciona como o maior exportador global de algodão, ultrapassando os Estados Unidos
Medida é para o enfrentamento das consequências sociais e econômicas decorrentes de eventos climáticos extremos no Rio Grande do Sul. O arroz será vendido ao consumidor pelo preço tabelado de R$ 4 por quilo
Projetos de lei que reduziriam a dependência brasileira da importação de fertilizantes, impulsionando a produção agropecuária sustentável e tornando o País mais competitivo.
Mestre de torra da Mokado Lab de Cafés, da capital federal, supera 23 concorrentes e representará o Brasil no mundial da categoria, em Copenhagen, na Dinamarca