Search
Close this search box.

Soja: abril registra as maiores médias de 2024

30 de abril de 2024

No mercado da soja, grãos seguem com preços firmes e valorização no mercado externo, veja mais informações a seguir
Compartilhe no WhatsApp
Soja: abril registra as maiores médias de 2024

O mercado da soja segue com estabilidade e crescimento, impulsionado por fatores tanto internos quanto externos. Abril desponta como um mês de destaque, registrando as mais altas médias do ano até o momento. Esta tendência ascendente é um reflexo não apenas da valorização global da commodity, mas também das dinâmicas específicas da colheita nacional.

Os preços da soja no mercado interno mostram uma notável firmeza, impulsionados pela valorização externa da commodity. As médias de abril, até o dia 25, dos Indicadores ESALQ/BM&FBovespa – Paranaguá e CEPEA/ESALQ – Paraná, destacam-se com incrementos de 2,2% e 2,9%, respectivamente, em relação ao mês anterior. Estes números marcam as maiores médias desde o início do ano, remontando a janeiro de 2024. Neste período, as preocupações climáticas sobre as lavouras sul-americanas impulsionaram os valores internos, consolidando um cenário favorável para os produtores.

A colheita da soja no Brasil avança para sua reta final, conforme dados divulgados pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Até o dia 21 de abril, aproximadamente 86,8% da área cultivada já havia sido colhida, representando um aumento semanal de 3,6 pontos percentuais. No entanto, esse índice fica aquém dos 89% registrados no mesmo período do ano anterior. O ritmo mais lento da colheita é atribuído, em parte, às precipitações que têm ocorrido no Sul do país e em algumas regiões do Nordeste, que têm impactado as atividades nos campos.

O panorama atual do mercado da soja é marcado por uma combinação de fatores que estão impulsionando os preços para cima e moldando a dinâmica da colheita nacional. A valorização externa, somada às condições climáticas locais, está contribuindo para uma temporada promissora para os produtores brasileiros. À medida que abril chega ao fim, os olhares permanecem atentos às tendências do mercado global e às condições climáticas que moldarão o desempenho futuro da commodity no país.

Por Agronews

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Mestre de torra da Mokado Lab de Cafés, da capital federal, supera 23 concorrentes e representará o Brasil no mundial da categoria, em Copenhagen, na Dinamarca
Rio grande do Sul havia colhido grande parte de sua produção de arroz antes das inundações
Este atraso da colheita pode ser atribuído a diversas condições climáticas adversas, especialmente no estado do Rio Grande do Sul.
Investimento em usina foi possível devido ao financiamento do Sicoob