Search
Close this search box.

SLC Agrícola deve plantar quase 700 mil hectares nesta safra

7 de outubro de 2023

Área é gigantesca, mas está em linha com o que foi semeado pela companhia na safra 2022/23
Compartilhe no WhatsApp
SLC Agrícola deve plantar quase 700 mil hectares nesta safra
Foto: SLC

SLC Agrícola informou que deverá semear 674 mil hectares na safra 2023/24, área praticamente estável em relação ao ciclo anterior, 2022/23. O total cultivado pela empresa é maior do que toda a área semeada com soja na última safra em Sorriso (MT) – quase 600 mil hectares -, o município que mais planta a oleaginosa no Brasil.

“Em comparação à safra anterior, aumentamos significativamente a área de algodão (15,5%) (para 187,4 mil hectares), pois a cultura apresenta boas margens. Reduzimos a área plantada do milho, que migrou para o algodão, em função das margens mais baixas”, informou a SLC em nota ao mercado nesta semana.

SLC é uma das maiores do agro no Brasil

Fundada em 1977, a SLC é uma das maiores produtoras de commodities agrícolas do Brasil. Além de algodão e milho, também produz soja e sementes, além de criar gado em sistema de integração lavoura-pecuária. As propriedades da empresa estão em Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Goiás, Bahia, Maranhão e Piauí.

Notícias RelacionadasRANKINGOs reis da espiga! Veja os 15 municípios que mais produzem milho no BrasilLISTAQuais são as maiores fazendas do mundo? Confira!

“A redução da área de milho (103,4 mil hectares) também propiciou o aumento de outras culturas como trigo, semente de braquiária, feijão-mungo e gergelim, dentre outras. Também tivemos uma pequena redução na área da cultura da soja de 2,9% (comercial + soja semente).”

lavoura de soja deve somar 336,7 mil hectares.

Em relação ao custo por hectare, a SLC informou queda de 10% em relação ao orçado da safra 2022/23.

“Essa queda reflete principalmente o declínio dos preços dos fertilizantes e defensivos que possuem uma forte correlação com os preços das commodities.”

Por Canal Rural

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Nesses últimos dias, o ritmo de comercialização diminuiu e as cotações domésticas de algodão também recuaram, na contramão dos referenciais externos
Em farelo de soja, a expectativa é de exportação de 2,225 milhões de toneladas, em comparação com 1,869 milhão de toneladas na projeção anterior
O relatório do estudo completo está em fase final de elaboração e deve ser divulgado no começo de setembro.
Orizicultores têm preferido comercializar a matéria-prima no porto de Rio Grande, onde as ofertas para exportação se mantêm mais vantajosas