Search
Close this search box.

Sempre Agtech lança ‘Win’ seu braço de inovação pensando em tecnologias brasileiras para desafios do Brasil

13 de setembro de 2023

Criada pela Sempre Agtech, operação com sede em SP recebeu aporte de cerca de R$ 190 milhões e visa reduzir a dependência da importação de defensivos agrícolas
Compartilhe no WhatsApp
Sempre Agtech lança 'Win', seu braço de inovação, pensando tecnologias brasileiras para desafios do Brasil

Com foco no desenvolvimento de biotecnologias verdes para agricultura tropical, a gigante sementeira Sempre Agtech apresenta para o mercado e parceiros a WIN (World Innovation), seu braço de inovação tecnológico. Para marcar o lançamento oficial da nova operação, será realizado um evento no dia 11 de setembro, em Campinas (SP), com a participação de clientes, parceiros e convidados. 
A nova operação do grupo recebeu um aporte de cerca de R$ 190 milhões e terá foco no desenvolvimento de novas tecnologias, totalmente nacionais, focadas em agricultura de precisão, defensivos biodirigidos, edição genômica via CRISPR e outras ferramentas de engenharia genética e melhoramento genético assistido. 

Segundo o fundador e CEO da WIN, Fernando Prezzotto, o objetivo é ajudar a elevar a agricultura brasileira para outro patamar, através do desenvolvimento de tecnologias que hoje são importadas ou monopolizadas pelas grandes multinacionais. 

“Atualmente, os ativos estratégicos que se utiliza não são brasileiros. O nosso agro ainda depende de matérias-primas vindas de países como Índia, Rússia e China para assegurar o suprimento de fertilizantes e defensivos agrícolas. Na outra ponta da cadeia, as tecnologias são dominadas e desenvolvidas exclusivamente por multinacionais globalmente consolidadas. O que nós queremos fazer é que esses ativos biotecnológicos estratégicos se tornem propriedade dos brasileiros”, afirma o fundador e CEO da WIN, Fernando Prezzotto.

Frentes da Win

Concebida para ser um braço de inteligência e inovação da Sempre, a WIN vai atuar em várias frentes, e seus produtos que estão em pesquisa e desenvolvimento seguem três linhas principais: proteção de cultivos, tolerância a estresses abióticos (hídrico e temperatura) e eficiência no uso de nutrientes, com principal foco para o Nitrogênio. Inclusive, com pesquisas avançadas em assimilação de Nitrogênio e edição genômica, a empresa torna as linhagens de milho mais eficientes no uso desse nutriente.

Entre os destaques, também está o desenvolvimento de uma linha de defensivos biodirigidos, capazes de controlar plantas daninhas, pragas e doenças que roubam a produtividade na lavoura. Neste tipo de defensivo, a sequência do gene é desenhada de forma a atuar apenas no organismo alvo (safe by design), sendo inofensivos para o ser humano e outros seres vivos. É proteção para o usuário do defensivo biodirigido e também para o consumidor, que poderá ter a certeza de estar ingerindo alimentos sem resíduos químicos.

Através da transferência de genes, a WIN desenvolve tecnologias que possibilitam as plantas a criarem maior resistentes a insetos-praga e herbicidas em cultivos como soja, milho, sorgo e algodão, reduzindo significativamente o uso de agroquímicos.

“Estamos desenvolvendo inovações para fertilizantes, defensivos, herbicidas e tratamento de sementes personalizados. Essas formulações possibilitam a liberação controlada de nutrientes e defensivos agrícolas para maximizar a absorção pelas plantas e aumentar a produtividade”, destaca o Diretor de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I) da empresa, Hugo Molinari.

As equipes também se dedicam a outras importantes frentes, como a busca por híbridos de milho desejados pelo mercado, edição genômica de plantas e de microrganismos via CRISPR/Cas, geração de plantas geneticamente modificadas (GM) à base de RNA interferente (RNAi), tolerância a estresses abióticos e novas ferramentas para acelerar ainda mais o programa de melhoramento genético da empresa (Speed breeding). 

“Nossos clientes terão acesso a soluções de alta qualidade e a tecnologias disruptivas para o agronegócio, sempre com foco na sustentabilidade e na eficiência do setor. A nossa missão é contribuir para o desenvolvimento sustentável dos sistemas agrícolas, promovendo soluções que garantam a segurança alimentar e o respeito ao meio ambiente” finaliza Molinari.

Por Notícias Agrícolas

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil 

Relacionadas

Veja também

Safra total de milho foi estimada em 114,14 milhões de toneladas, um acréscimo de 2,5 milhões de toneladas em relação ao previsto no mês passado; área plantada deve crescer 1% e produtividade deve avançar 1,2%
O saldo alcançou US$9,42 bilhões, aumento de 14,2% em comparação ao mesmo período do ano anterior
Programas de destaque incluem “Vivenciando a Prática”, que já mostrou realidade do agronegócio a mais de 30 mil estudantes e professores, e a Agroteca Digital
O estudo indicou que a conectividade no agro, que antes era uma novidade, agora se tornou uma tendência emergente.