Search
Close this search box.

Semana Internacional do Café espera reunir mais de 20 mil pessoas de 40 países

16 de outubro de 2023

Promoção do Governo de Minas, evento será realizado de 8 a 10/11 no Expominas, em Belo Horizonte
Compartilhe no WhatsApp
Semana Internacional do Café espera reunir mais de 20 mil pessoas de 40 países

Governo de Minas promove, em parceria com o Sistema Faemg Senar, o Sebrae Minas e a Espresso&CO, a 11ª edição da Semana Internacional do Café (SIC), nos dias 8 a 10/11, no Expominas, em Belo Horizonte. Mais de 20 mil pessoas, vindas de até 40 países, são esperadas pelo evento, criando oportunidades para conexões e transações comerciais em todo o setor e reforçando que o Brasil é mesmo o país do café. 

Realizada desde 2013 na capital mineira, com promoção do Governo de Minas, por meio da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais  e vinculadas ( Emater-MG , Epamig e Instituto Mineiro de Agropecuária – IMA ), a SIC gera oportunidades para toda a cadeia do café brasileiro, olhando tanto para o mercado nacional quanto internacional. Nesta edição, o Sistema Estadual da Agricultura terá um plantão técnico no estande para tirar dúvidas sobre processos produtivos do café, informações sobre políticas públicas e ações para o segmento. 

Para o secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Thales Fernandes, a SIC é um evento fundamental na promoção dos cafés brasileiros por integrar, em um mesmo ambiente, todos os elos do agronegócio da cafeicultura. “O café é o carro-chefe das exportações do agro mineiro. Só no ano passado, nosso grão foi exportado para 89 países, alcançando o valor de US$ 6,9 bilhões, com embarques de aproximadamente 28,5 milhões de sacas. A feira é uma oportunidade para que o estado mostre ao mundo a diversidade e a qualidade da sua produção, para potencializar ainda mais os cafés mineiros para outros mercados”, conclui Thales Fernandes. 



Tema da Semana Internacional do Café



Neste ano, o evento tem como tema “Origens produtoras: uma visão de futuro para uma nova cadeia do café”, fazendo referência ao novo cenário mundial, que leva em consideração práticas, produção e consumo sustentáveis em todos os setores.  

A feira tem foco nas transações B2B (um termo de vendas que representa negócios realizados por empresas para outras empresas), incluindo desde grandes produtores de café, representantes de empresas que atuam em todas as etapas da cadeia produtiva de seleção, processamento e embalagem do grão, grandes e pequenos empresários do setor, como, por exemplo, pessoas que estejam se preparando para abrir uma cafeteria. O evento conta ainda com a presença de agrônomos, mestres de torra, baristas e representantes de setores complementares, como o de leites vegetais.  

“Temos muito orgulho em afirmar que a Semana Internacional do Café é um espaço onde, há 11 anos, histórias são contadas, conexões geradas e um número gigante de negócios realizados anualmente, fomentando o setor do café brasileiro como nunca antes na história”, comenta Caio Alonso Fontes, diretor da Espresso&CO, um dos realizadores do evento.  

Antônio Pitangui de Salvo, presidente do Sistema Faemg Senar, uma das entidades que promovem o evento, reforça a importância da SIC. “Minas Gerais é o maior estado produtor de café do Brasil. E faz parte de nossa missão promover melhorias às propriedades rurais para que o setor continue avançando. Por isso, levamos conhecimento aos cafeicultores e a todos os produtores rurais de Minas, por meio de cursos e assistência técnica e gerencial, além de assessoria técnica, jurídica e ambiental. Junto a isso, a Semana Internacional do Café colabora para conectar o produtor rural a grandes agentes da cadeia cafeeira e para mostrar o valor dos nossos cafés e do importante trabalho do produtor rural mineiro”. 

Outro realizador do evento é o Sebrae Minas Gerais, que desenvolve há mais de 10 anos várias iniciativas para estruturar as ‘origens controladas’, o tema desta edição da SIC. “Atualmente, nove regiões produtoras de café contam com o apoio do Sebrae Minas Gerais na elaboração de estratégias voltadas para fortalecer a identidade e origem dos territórios, valorizar o trabalho dos produtores, incentivar a melhoria contínua da qualidade do café, ampliar as oportunidades de negócios e estimular o desenvolvimento de uma cafeicultura cada vez mais sustentável e consciente”, explica Marcelo de Souza e Silva, presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae-MG. 

Programação

Olhando para o fato de que o Brasil é o maior produtor do grão no mundo e segundo maior consumidor, ficando atrás apenas dos Estados Unidos, a programação da SIC reúne palestras, workshops, degustações, cursos e competições, com o intuito de impulsionar ainda mais o setor e ajudar a promover o desenvolvimento da cafeicultura nacional ao conectar os profissionais da área às inovações do mercado. 

Durante três dias, o público poderá participar dos mais de 20 eventos de conteúdo e premiações, como o concurso Coffee of the Year Brasil 2023, em que os melhores cafés brasileiros da safra nova serão conhecidos; o Encontro Mineiro das Cooperativas de Café – OCEMG e o Campeonato Brasileiro de Barista, em que o campeão irá representar o Brasil no campeonato mundial em 2024. 

A SIC é gratuita para produtores e empresas da área, assim como para visitantes internacionais. Pessoas físicas também têm acesso por meio da compra de ingresso pelo valor de R$ 60 pelos três dias. A programação completa e os convidados confirmados podem ser conferidos no site: www.semanainternacionaldocafe.com.br.

Serviço 
11ª Semana Internacional do Café (SIC)


Data: de 8 a 10/11/2023 

Horário: das 10h às 19h 

Local: Expominas – Avenida Amazonas, 6.200, Gameleira, Belo Horizonte 

Ingressos: pessoa física: R$ 60 (para os três dias) / pessoas jurídicas: gratuito; produtor rural e visitantes internacionais: gratuito. 

Por Folha de Sabara

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Com 2,8 milhões de toneladas, o Brasil se posiciona como o maior exportador global de algodão, ultrapassando os Estados Unidos
Medida é para o enfrentamento das consequências sociais e econômicas decorrentes de eventos climáticos extremos no Rio Grande do Sul. O arroz será vendido ao consumidor pelo preço tabelado de R$ 4 por quilo
Projetos de lei que reduziriam a dependência brasileira da importação de fertilizantes, impulsionando a produção agropecuária sustentável e tornando o País mais competitivo.
Mestre de torra da Mokado Lab de Cafés, da capital federal, supera 23 concorrentes e representará o Brasil no mundial da categoria, em Copenhagen, na Dinamarca