Search
Close this search box.

Seca na Ásia faz países correrem para o café brasileiro

27 de março de 2024

Segundo o Cecafé, os embarques do Brasil para o Vietnã e para a Indonésia, em 2023, registraram crescimentos de 487,7% e 134,9%
Compartilhe no WhatsApp
Seca na Ásia faz países correrem para o café brasileiro

Com o crescente consumo de café na Ásia, países como Vietnã e Indonésia, grandes produtores e exportadores do grão, têm recorrido às importações do grão brasileiro para suprir demandas internas.

Na Indonésia, o aumento do consumo entre os jovens se deu por bebidas inovadoras, além do aumento da renda, que estimula a compra.

De acordo com associações de exportadores locais, o consumo de café no país cresceu cerca de 4% ao ano na última década, número superior ao crescimento de 2,2% na demanda global esperada pela Organização Internacional do Café (OIC).

De olho no movimento, o Neumann Kaffee Gruppe, uma das maiores empresas de importação do grão do mundo, está abrindo um escritório no país.

Tanto a Indonésia quanto o Vietnã, países que produzem café robusta, preferem exportar sua produção e importar de outras origens para suprir o consumo interno, já que seus grãos costumam ser mais caros do que os do Brasil.

As condições climáticas e as colheitas insuficientes indicam que as importações continuarão.

Segundo o Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé), os embarques do Brasil para o Vietnã e para a Indonésia, em 2023, registraram crescimentos de 487,7% e 134,9%, respectivamente, em comparação com 2022.

Clima na Ásia

Devido ao El Niño, o Sudeste Asiático foi impactado por uma seca extrema nesta temporada, o que prejudicou a produção vietnamita e indonésia, elevando os preços locais.

Atualmente, o café do Vietnã está sendo comercializado por mais de US$ 30 em relação aos grãos brasileiros, o que torna as origens sul-americanas mais atraentes.

Por Canal Rural

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Professor europeu visitou Unidade da Epamig em Viçosa para conhecer o trabalho de perto e disse que gostaria de levar nossa tecnologia para seu país
Estado de São Paulo produziu 192 mil toneladas de abacate no ano passado
Atração da feira, o Programa de Compradores Internacionais deve promover mais de mil encontros entre produtores nacionais e investidores estrangeiros. Brasil bateu recorde de exportações em 2023
A produtividade das lavouras do grão é estimada em 1.930 quilos por hectare pela Emater-RS/Ascar