Search
Close this search box.

Santa Catarina visa expandir o modelo de educação de agronegócio do Centro de Atendimento Socioeducativo de Chapecó

10 de julho de 2023

A agricultura assume uma função socioeducativa que estimula as relações interpessoais e viabiliza o envolvimento e a participação dos jovens em um processo coletivo
Compartilhe no WhatsApp
Santa Catarina visa expandir o modelo de educação de agronegócio do Centro de Atendimento Socioeducativo de Chapecó
Foto Divulgação

Santa Catarina visa expandir o modelo de trabalho e educação no agronegócio utilizado no Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) de Chapecó, unidade integrante do Departamento de Administração Socioeducativa. Os jovens produzem hortaliças que, além do consumo na unidade, são distribuídas às redes supermercadistas da região. O secretário de Estado da Agricultura, Valdir Colatto, conheceu o modelo de sucesso implantado na unidade e discutiu formas de fortalecer e apoiar ainda mais o setor operacional do local.

“Esse é um exemplo que nós temos que seguir em todo o estado. A Secretaria da Agricultura vai aportar recursos para ajudar a equipar e fazer com que se amplie esse trabalho para que esses jovens tenham uma atividade, conheçam a agricultura e daqui a pouco sejam os empreendedores rurais de Santa Catarina. É um programa que pretendemos levar para os outros centros socioeducativos e para os presídios. Além do papel social que a secretaria vai desempenhar, também podemos contar com a assistência da Epagri”, ressalta o secretário da Agricultura, Valdir Colatto.

A agricultura assume uma função socioeducativa que estimula as relações interpessoais e viabiliza o envolvimento e a participação dos jovens em um processo coletivo. A produção de verduras, legumes e hortaliças faz parte das atividades laborais dos adolescentes e proporciona conhecimento e uma ocupação sadia durante o período de internação.

Os valores obtidos com a venda dos produtos são aplicados integralmente em melhorias nos espaços da unidade em que os internos têm acesso. O trabalho é acompanhado por dois engenheiros agrônomos e garante, além da oportunidade do aprendizado no setor agro, a diminuição dos custos de operação para o Estado.

Durante a visita, o secretário Colatto se comprometeu em fornecer recursos para a aquisição e instalação de uma estufa semi-hidropônica destinada ao cultivo de morangos e firmou compromisso para doação de um trator fruteiro com implementos para aperfeiçoar a manufatura agrícola no local.

Por Notícias Agrícolas

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil 

Relacionadas

Veja também

Webinar ABAGTALKS Caminhos da bioeconomia para a COP30, promovido nesta segunda-feira, dia 17 de junho, pela ABAG (Associação Brasileira do Agronegócio)
Em um ano: as exportações totalizaram R$ 898,45 bilhões
Criação de canais de atendimento exclusivos e especializados e melhorias na rede elétrica no interior integram série de ações previstas no Cemig Agro.
O saldo alcançou US$9,42 bilhões, aumento de 14,2% em comparação ao mesmo período do ano anterior