Search
Close this search box.

Safra de soja do Brasil 23/24 estimada em 160 mi t

9 de dezembro de 2023

Apesar dos problemas climáticos, a safra do maior produtor e exportador global de soja ainda deverá crescer 3,5% na comparação com a temporada anterior
Compartilhe no WhatsApp
Safra de soja do Brasil 23/24 estimada em 160 mi t, retorno de chuvas ajudou

A safra de soja do Brasil em 2023/24 deve alcançar recorde de 160 milhões de toneladas, queda de cerca de 4 milhões de toneladas na comparação com a previsão do mês passado, por conta dos efeitos da seca no centro-norte do país, afirmou nesta sexta-feira a consultoria Cogo Inteligência em Agronegócio.

A safra do maior produtor e exportador global de soja ainda deverá crescer 3,5% na comparação com a temporada anterior

Apesar dos problemas climáticos, a safra do maior produtor e exportador global de soja ainda deverá crescer 3,5% na comparação com a temporada anterior, com um crescimento de 2,9% na área plantada e forte recuperação na colheita do Rio Grande do Sul, atingido pela seca no ciclo anterior.

O sócio-diretor da Cogo, Carlos Cogo, afirmou em nota que a previsão é de retorno das chuvas entre dezembro e março, “o que deverá favorecer as lavouras do Brasil Central e atenuar a estiagem no Matopiba (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia)”.

“Neste cenário, não há indicativos de quebras expressivas, com boas produtividades previstas para as regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, compensando parte de possíveis perdas de potencial produtivo no Matopiba.”

A produção do Rio Grande do Sul deverá saltar 73,6% na comparação anual, para 22,6 milhões de toneladas, enquanto a Cogo vê queda de 6,3% na safra de Mato Grosso, para 42,7 milhões de toneladas, por conta do tempo seco e quente no início da ciclo.

Já a produção total de milho do Brasil em 2023/2024 deve alcançar 119,3 milhões de toneladas, ante 121,6 milhões de toneladas na estimativa anterior, versus recorde de 131,9 milhões de toneladas na temporada anterior.

A Cogo projeta uma queda de 2,5% no plantio de milho, em meio a preços baixos, para 21 milhões de hectares.

Por Reuters

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Nesses últimos dias, o ritmo de comercialização diminuiu e as cotações domésticas de algodão também recuaram, na contramão dos referenciais externos
Em farelo de soja, a expectativa é de exportação de 2,225 milhões de toneladas, em comparação com 1,869 milhão de toneladas na projeção anterior
O relatório do estudo completo está em fase final de elaboração e deve ser divulgado no começo de setembro.
Orizicultores têm preferido comercializar a matéria-prima no porto de Rio Grande, onde as ofertas para exportação se mantêm mais vantajosas