Search
Close this search box.

RS avança na produção de azeites de Oliva

30 de maio de 2023

Para garantir a qualidade do produto, o tempo entre a retirada do fruto e a extração do azeite é fundamental.
Compartilhe no WhatsApp
RS avança na produção de azeites de Oliva

O uso de novas tecnologias na produção de azeite de Oliva, tem feito com que o Rio Grande do Sul se destaque na produção nacional. Somente em uma fazenda localizada em Dom Feliciano, no Centro-Sul do estado, a produção saiu de 80 mil quilos em 2022, para 150 mil quilos na safra de 2023. E para ajudar no processo de colheita, os produtores estão investindo em novas tecnologias que auxiliam na retirada das oliveiras. Pois para garantir a qualidade do produto, o tempo entre a retirada do fruto e a extração do azeite é fundamental.

RS avança na produção de azeites de Oliva
Produção de azeite de oliva extravirgem /Foto: Thiago Cruz

Um dos equipamentos utilizados nas fazendas é o shaker, ele auxilia na retirada das oliveiras e traz mais rapidez ao processo que antes era feito de forma manual. A colheitadeira balança as árvores e rapidamente consegue fazer a colheita.

Além do aumento da produção, o Rio Grande do Sul conta com o único grupo oficial que faz avaliação de azeites importados, o que ajuda o consumidor a não cair em fraudes e comprar produtos adulterados.

Conforme dados divulgados pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Rio Grande do Sul, o Brasil é o segundo maior consumidor de azeite de oliva do mundo, ficando atrás apenas dos Estados Unidos. E por conta dessa demanda, o estado tem avançado na produção que saltou de 17 marcas em 2017, para 80 este ano.

O objetivo é manter o RS como líder nacional, respondendo por 75% da produção, sendo seguido por Minas Gerais, São Paulo, Santa Catarina e Paraná.

Segundo o Ministério da Agricultura, o azeite de Oliva é o segundo produto mais fraudado no mundo.

Benefícios do azeite

O azeite de oliva é conhecido há séculos como um dos óleos mais saudáveis ​​disponíveis. Ele é extraído das azeitonas, frutas oleaginosas produzidas pela oliveira, e é amplamente utilizado na culinária mediterrânea. O azeite é rico em gorduras monoinsaturadas, como o ácido oleico. Estudos mostram que o consumo regular dessas gorduras está associado a um menor risco de doenças cardíacas, incluindo a redução dos níveis de colesterol LDL (o “mau” colesterol) e pressão arterial.

Por Sou Agro

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

Exportações do agronegócio cresceram 14,8% em janeiro
Produzido a partir de dados do Caged, o levantamento mostra que as atividades que envolvem a colheita da laranja foram responsáveis por 54.232 contratações
Com maior disponibilidade de lavouras, produtores visam se capitalizar e/ou adiantar a colheita, comparativamente ao padrão sazonal de anos anteriores.
Em uma análise recente divulgada pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), as projeções apontam para um futuro promissor para o agronegócio brasileiro, especialmente para o setor de milho.