Search
Close this search box.

Projeto de São Paulo para reduzir gases de efeito estufa em produção bovina recebe R$ 20 mi

9 de outubro de 2023

Centro de pesquisa NeuTroPec, resultado da parceria entre setor privado e Governo, tem objetivo de neutralizar emissão de carbono no setor
Compartilhe no WhatsApp
Projeto de SP para reduzir gases de efeito estufa em produção bovina recebe R$ 20 mi
Crédito Divulgação

O Governo de São Paulo, por meio da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, lançou na última semana, em São José do Rio Preto, o Centro de Ciência para o Desenvolvimento da Neutralidade Climática da Pecuária de Corte em Regiões Tropicais, o NeuTroPec.

Resultado de uma parceria entre o governo paulista, Fapesp e empresas privadas, o projeto terá investimento de R$ 20 milhões. O centro tem como sede a Unidade de Pesquisa do Instituto de Zootecnia, em São José do Rio Preto. O objetivo é estabelecer estratégias de mitigação da emissão de gases de efeito estufa em sistemas de produção de bovinos de corte, desenvolvendo tecnologias e transferindo conhecimento à cadeia produtiva. As pesquisas ocorrerão, além da unidade de São José do Rio Preto, nas unidades da secretaria de agricultura em Colina e em Sertãozinho.

Segundo o secretário-executivo da pasta, Guilherme Piai, a iniciativa visa transformar o cenário da pecuária de corte em regiões tropicais. “O NeuTroPec tem a missão primordial de atingir a neutralidade do carbono nos sistemas de criação de bovinos de corte, harmonizando a sustentabilidade, a segurança alimentar, o bem-estar animal e o compromisso com o meio ambiente”, destacou durante participação na Expo Rio Preto.

Para Piai, os resultados obtidos corroboram com a posição do Governo de SP e do Brasil como referência mundial no setor. A expectativa é ampliar a área de produção com sistemas sustentáveis para a consolidação do plano ABC+ – “Plano Setorial para Adaptação da Agropecuária às Mudanças do Clima e Baixa Emissão de Carbono (2020-2030)”.

“O NeutroPec é o único centro de pesquisa dessa temática na América Latina. São Paulo sai mais uma vez na frente, com investimento em pesquisa e compromisso com a sustentabilidade. É um marco significativo na nossa jornada e inovador na pecuária de corte”, ressalta Renata Helena Branco Arnandes, pesquisadora do Instituto de Zootecnia e coordenadora do NeuTroPec.

Investimento

Do total aprovado pela Fapesp – em torno de R$ 9,4 milhões -, aproximadamente R$ 6 milhões serão destinados à execução dos projetos. O recurso será investido em material de consumo, serviços de terceiros e aquisição de equipamentos. Outros R$ 2,9 milhões estão reservados para as seis cotas de bolsas para alunos em estágio de pós-doutoramento, com duração de 48 meses cada.

Para a execução dos projetos, as empresas parceiras DSM, SILVATEAM, ALLTECH e JBS farão aporte financeiro de mais de R$ 10 milhões ao longo de cinco anos.

Expo Rio Preto

A 60ª edição da Expo Rio Preto começou no dia 27 de setembro e vai até 15 de outubro. A organização visa uma edição inovadora e cheia de atrações, entre elas exposições e julgamentos de raças, leilões, feira de negócios, entretenimento e o InterTech Agro, uma iniciativa para ativar e fortalecer diversas cadeias produtivas que promovem inovação, engajamento e conexão entre os elos do ecossistema agro.

A iniciativa promove discussões técnicas e atividades relacionadas à agropecuária de corte, cana-de-açúcar e cacau, além de inovações e estratégias de manejo sustentável voltadas às cadeias produtivas de aves, leite, ovinos e borracha.

Na edição passada, a feira bateu recorde com mais de R$ 8,1 milhões em negócios fechados, 2,5 mil animais e 40 mil visitantes. Para este ano, a expectativa é de superar esses números, com um calendário com mais de 15 dias.

Por Governo de São Paulo

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Veja também

42 ª Exposição Internacional do Cavalo Puro Sangue Lusitano acontece de 20 de maio a 02 de junho no Parque da Água Branca
O aumento do uso de coprodutos representa uma solução sustentável para a destinação de resíduos
São Paulo enfrenta desafios ainda maiores devido aos altos custos para o setor produtivo do leite e por ser o maior mercado consumidor do país.
Volume alcançou em 178,8 mil toneladas até a quarta semana, sendo que no ano anterior foram exportadas 168,4 mil toneladas