Programa de fomento à avaliação por ultrassom gera DEPs de 3,7 mil animais

Centrais de inseminação têm contratado somente touros com indexadores mensurados por ultrassom de carcaça, diz veterinário da Associação Brasileira de Angus
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Programa de fomento à avaliação por ultrassom gera DEPs de 3,7 mil animais
Ultrassom de carcaça – Foto: Carolina Jardine
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Áudio

No ano em que completa dez anos, o Programa de Fomento à Avaliação de Reprodutores por Ultrassonografia subsidiado pela Associação Brasileira de Angus avaliou a quantia recorde de 4.145 animais da geração 2019. Do total de exemplares mensurados, 3.723 geraram DEPs para características relacionadas à produção de carne e ganho econômico. A quantia representa 52,7% das fêmeas e 60,8% dos machos avaliados no Programa de Melhoramento de Bovinos de Carne (Promebo) da geração 2019.

Para o médico veterinário e gerente de Fomento da Associação Brasileira de Angus, Mateus Pivato, o aumento na quantidade de animais avaliados deve-se a um somatório de fatores, como o maior interesse de criadores e de compradores por reprodutores que possuam características para a produção de carne. Além disso, centrais de inseminação têm contratado somente touros com indexadores mensurados por ultrassom de carcaça. “A ferramenta já foi um diferencial. No entanto, hoje tornou- se essencial para a comercialização de reprodutores, dada a importância das características que são avaliadas”, acrescentou.

A quantidade de animais mensurados mostra ainda, conforme Pivato, que a avaliação não está sendo utilizada pelos criadores somente com intuito comercial. “Como temos muitas fêmeas avaliadas, compreendemos que o produtor está utilizando essa ferramenta para a seleção própria do seu rebanho”, ressaltou. A expectativa, segundo ele, é avaliar uma quantidade ainda mais expressiva de animais na geração 2020 que venham a resultar em DEPs Enriquecidas pela genômica no passo em que estes animais forem sendo genotipados.

O ultrassom de carcaça

A ultrassonografia de carcaça permite, segundo Leandro Lunardini, proprietário da Meat Science Consultoria, parceira da Associação na Prova de Eficiência Alimentar Angus/Embrapa, a observação de estruturas corporais dos animais como a Espessura de Gordura Subcutânea (EGS), a deposição de Gordura Intramuscular (Marmoreio) e a Área do Músculo Longissimus. Características que estão diretamente relacionadas à melhora no rendimento cárneo, a qualidade da carne e a precocidade de acabamento. “Os programas de melhoramento são abastecidos com essas informações e dessa forma é possível se predizer o mérito genético dos animais para características de carcaça em idades jovens sem a necessidade de abate”, explicou.

Para o analista de dados do Promebo, Eduardo Barbachan, ao avaliar os resultados da geração 2019, fica cada vez mais visível o compromisso da Associação Brasileira de Angus em munir os criadores de informações imprescindíveis para a seleção dos rebanhos. “Cabe a nós, do Promebo, exaltar a dedicação e a competência em realizar esta árdua tarefa a cada ano com melhor desempenho”.

Fonte: Associação Brasileira de Angus
Foto: Carolina Jardine

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Leia também