Preços da banana nanica sobem com força no início de julho

Os reajustes mais expressivos foram registrados no Semiárido
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Preços da banana nanica sobem com força no início de julho
Foto – Divulgação
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Áudio

Os valores da banana nanica subiram de forma significativa nas regiões produtoras no começo de julho (de 05 a 09/07), devido ao período de início de mês. Segundo colaboradores do Hortifruti/Cepea, os reajustes mais expressivos foram registrados no Semiárido, onde a qualidade dos cachos está maior frente à das regiões que estão com baixas temperaturas.

No Norte de Minas Gerais, a nanica de primeira qualidade foi vendida na média de R$ 1,39/kg, 48% superior à da semana anterior. No Vale do Ribeira (SP), houve relatos de chilling, escurecimento da casca, principalmente em áreas de baixada.

Assim, nessa praça paulista, a nanica foi comercializada por R$ 1,26/kg, avanço de 10% na mesma comparação.

Exportações da banana

Os primeiros quatro meses do ano foram positivos para a fruticultura brasileira. Entre janeiro e abril de 2021 o volume de exportações de frutas cresceu em 21,39%. Em valor, o aumento gerado pelas vendas é um pouco maior e chega a 23,22%, de acordo com dados do Boletim Prohort, de maio deste ano, pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Quanto à banana, as exportações somaram 34,01 mil toneladas, 5,13% menores em relação ao mesmo período de 2020, e o valor auferido foi US$ 12,06 milhões, maior 11,26% em relação à parcial do ano passado.

Mesmo com restrições ligadas a custos logísticos e barreiras sanitárias na Europa em meio à pandemia de Covid-19, que contribuíram para que as vendas externas fossem menores no 1º trimestre de 2021 em relação a 2020, as vendas externas ensaiaram uma recuperação, principalmente baseada na venda da nanica do Vale do Ribeira (SP).

Boa qualidade da fruta e a desvalorização cambial foram relevantes para a melhora. O Mercosul (principalmente Uruguai e Argentina) adquiriu maior relevância para o escoamento do produto.

Fonte: Cepea, Conab
Foto: Divulgação

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

Relacionadas

Leia também