Práticas no campo agregam valor à produção do agronegócio

Desafios desse processo para o campo, assim como as oportunidades de crescimento para o setor serão temas do 6º CNMA, online, nos dias 25, 26 e 27 de outubro
Share on whatsapp
Compartilhe no WhatsApp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on email
Share on telegram
Práticas no campo agregam valor à produção do agronegócio
Áudio

A cada dia, o agronegócio brasileiro tem ganhado mais destaque no cenário nacional, seja com foco econômico, sustentável ou até mesmo no campo das tecnologias. As mudanças de hábitos e de consumo do mercado sinalizam uma necessidade de adequação e de fazer o novo agro.

Com essa visão, a 6ª edição do Congresso Nacional das Mulheres do Agronegócio – CNMA reúne novamente o setor para entender os desafios, as oportunidades e as práticas que devem ser adotadas para acrescentar valor à produção do campo. O evento será realizado nos dias 25, 26 e 27 de outubro, em formato Digital Experience, com o tema “Digital & Agregação de Valor. A nova liderança no Agro”. 

“Hoje, a originação de alimentos e matérias-primas agropecuárias está totalmente vinculada ao valor real e percebido das mercadorias. Tudo precisa agregar resultado e impactar positivamente em valor percebido. Esse movimento exige aperfeiçoamento e uma atenção redobrada por parte dos produtores e de toda a cadeia”, ressalta a Show Manager do evento, Carolina Gama. 

Buscando trazer para o debate ações e exemplos reais do processo de agregação de valor à produção do campo, o CNMA convidou para liderar e representar o tema na edição deste ano do evento a pecuarista Carmen Perez, que há 14 anos atua na atividade com pesquisa, se tornando referência nacional em bem-estar animal. 

“Na minha visão, esse processo faz com que o agro ganhe em todos os sentidos, pois estamos em uma era na qual as pessoas estão mais conectadas com aquilo que consomem e também com as preocupações ambientais. As pessoas hoje estão muito atentas a isso, o que impacta tanto no produto quanto na imagem de um setor inteiro”, afirma Carmen. 

congresso mulheres do agro carmen perez 2
Pecuarista Carmen Perez – Foto: Divulgação/Mulheres do Agro

Segundo ela, tendo em vista o dinamismo do mercado e a tendência cada vez maior por parte do consumidor em buscar transparência, saber a origem, de que forma foi produzido e de onde veio o alimento que irá consumir é, sem dúvida, uma oportunidade de crescimento para o agro brasileiro. 

“Todo o processo de produção é muito dinâmico e vivemos num mundo em que a demanda tem mudado muito. Considero que essa abertura da porteira e dos produtores, sejam eles agricultores ou pecuaristas, conta muito, pois hoje as pessoas querem saber a origem do que elas estão ingerindo. É um processo que agrega muito valor e que precisa ser claro. Acredito que o setor tem essa flexibilidade e já compreendeu que isso é importante”, ressalta a pecuarista. 

Ela ainda acrescenta que esse processo apresenta muitos desafios, que se caracterizam de acordo com o segmento de cada produtor, como o das boas práticas de produção, transformação, comunicação e mudança do sistema de produção, sendo esse o que mais tem impacto em custo. 

Ambiente para debater no agronegócio

Neste cenário, o CNMA vai oferecer, por meio da sua programação, um ambiente para debater e entender como passar por esse processo no setor do agronegócio, oferecendo a oportunidade de crescimento da produção e do lucro, por meio da agregação de valor aos produtos do campo. 

“Entendemos que o cenário atual demanda da produção agrícola e pecuária uma atenção maior para os hábitos e demandas vindas do mercado. Temos um consumidor mais exigente e que avalia os produtos de uma forma diferente, olhando para o caminho que foi percorrido e como essa atividade impactou no mundo em que vivemos”, acrescenta Gama. 

“É fundamental falarmos das direções que a produção está seguindo, pois ela acompanha muito os rumos atuais de uma demanda ética e humana, acima de tudo. É a demanda por boas práticas de produção e com o nosso planeta. O CNMA, nesse sentido, é um porta-voz muito atual para as questões que acontecem dentro e fora da cadeia produtiva, que são essas demandas”, finaliza Carmen. 

Fonte: Mulheres do Agro
Crédito da foto em destaque: Divulgação/Canva

Leia outras notícias no portal Mundo Agro Brasil

 

Relacionadas

Veja também

Canchim, a raça sintética proveniente do Charolês (francês) e do Nelore (brasileiro) integra banco de dados do Promebo.
Já no parto, o coto umbilical precisa cicatrizar de forma correta para evitar problemas futuros aos animais e prejuízos ao pecuarista.
Em tempos onde o preço da produção do leite sobe menos que os custos, nutrição de qualidade e assistência técnica ajudam a manter alta produtividade
Linhas de financiamento para investimento foram as mais procuradas no período com alta de 50%, em comparação com o plano safra anterior.